27 de julho de 2019

Obras do Divino


A mudança que estamos testemunhando no Brasil é obra de Deus, sendo que Bolsonaro, Moro, Paulo Guedes e tantos outros são suas ferramentas.

Não há força que resista ao poder divino. Os demônios podem gritar à vontade, distorcer, mentir, chorar, fugir. Já estão condenados.

Advogados pedem cassação do presidente da OAB por desacatar Sergio Moro


O Movimento dos Advogados do Brasil, que possui mais de dois mil membros em todo país, divulgou nesta sexta-feira (26) um manifesto pedindo a cassação do mandato de Felipe Santa Cruz, atual presidente do Conselho Federal da OAB.

Em entrevista à colunista Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, e falando em nome da OAB, Felipe Santa Cruz disse que o ministro Sergio Moro “banca o chefe de quadrilha”.

Não é a primeira vez que o Movimento pede a cassação do presidente da Ordem. No dia 22 de maio, em discussão nas redes sociais, Felipe Santa Cruz usou palavras de baixo calão para se dirigir aos advogados, em especial à Dra. Flávia Ferronato, provocando fortes protestos entre a classe.

A entidade acusa Santa Cruz pela “prática reiterada de quebra de decoro e utilização do nome da OAB para expor opiniões políticas pessoais”. Fonte: Helder Caldeira

Salvem a OAB! Eu quero fazer parte dela


A OAB tem um Presidente, Felipe Santa Cruz, que quer o fim da prisão em 2ª instância, quer acabar com a Lava Jato; leva a sério mensagens manipuladas por Glenn. Enfim, transformou-a em uma instituição apática, inoperante e acéfala. Sem nenhuma serventia para a sociedade.

Salvem a OAB! Eu quero fazer parte dela.

Brasil cria mais de 408 mil vagas de empregos formais no primeiro semestre


É o melhor resultado em cinco anos. Essa é a diferença do número de admissões para o número de demissões que ocorreram no país. No ano passado, no mesmo período, foram gerados pouco mais de 392 mil.

Como os europeus veem o presidente Jair Bolsonaro


Por Helga Maria Saboia Bezerra

"Não tens ideia da quantidade de estrangeiros que tenho visto, nas redes sociais, falando positivamente do novo presidente brasileiro e pedindo para o próprio país "um Bolsonaro". Argentinos, irlandeses, espanhóis, franceses, alemães, venezuelanos... até o vídeo do Bolsonaro discutindo com a Maria do Rosário está circulando com legendas em espanhol.

Os homens  tão maltratados aqui na Espanha pela 'Lei de Violência de Gênero', que coloca-os como culpados, 'a priori', em qualquer caso de violência doméstica  e todas as pessoas cansadas das feministas, aplaudem vivamente.

 Eu vejo um fortíssimo descontentamento dos cidadãos de várias nações ao redor do mundo com o tipo de política que se vem fazendo há tantos anos (vi africanos e australianos pedindo um Bolsonaro para seus países). O mundo está mudando. As pessoas estão perdendo o medo de dizer que querem políticas nacionalistas, patrióticas e identitárias em seus países, cansados que estão do menu igualitário da União Europeia e da ONU. Muitos estão despertando, acordando, vendo que é possível e desejável lutar por mudanças como as que ocorreram nos Estados Unidos e no Brasil.

Deputados aprovam minirreforma de Mauro Mendes; MT espera arrecadação de R$ 1 bi

Com 14 votos, os deputados estaduais aprovaram, em definitivo, o projeto de lei do governador Mauro Mendes (DEM) que visa reinstituir os incentivos fiscais, alterar o método de cobrança de ICMS e aumentar imposto de setores econômicos de Mato Grosso.

A sessão teve início pouco depois das 19h de sexta-feira (26) e foi concluída depois de 6h da manhã deste sábado (27). Isso porque, os deputados analisaram uma a uma das 91 emendas apresentadas ao projeto. Destas, foram aprovadas apenas 6 (37, 74, 81, 82, 84 e 88).

Entre as emendas aprovadas está a que garantiu que a produção de energia solar permaneça isenta de ICMS por oito anos após o começo da vigência da legislação aprovada pela Assembleia. A intenção do governo era taxar o segmento.

No projeto, os deputados mantiveram em 75% a isenção para o algodão e estabeleceram que a partir de janeiro de 2020 ficam impossibilitadas de acessar incentivos fiscais as empresas que tenham pendências com a Sefaz.

Sessão tumultuada

Os deputados realizaram a sessão em uma das salas da presidência. Isso porque, os profissionais da Educação lotaram as galerias da Assembleia e tumultuaram o andamento da votação.

Os manifestantes estavam há alguns dias acampados no local tentando impedir a votação do texto, a fim de forçar o Executivo a atender pleitos da categoria, em greve há dois meses.