31 de julho de 2019

Paulo Taques se torna réu em ação penal que apura escutas clandestinas


O juiz Jorge Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, acatou a denúncia do Ministério Público do Estado (MPE) e tornou réu o ex-chefe da Casa Civil Paulo Taques, na ação que apura esquema de escutas ilegais clandestinas durante a gestão do ex-governador Pedro Taques.

Conforme a denúncia, realizada por meio de aditamento, Taques é acusado de criar uma “história cobertura” para induzir a erro duas delegadas, levando-as a grampear sem motivo sua ex-amante Tatiane Sangalli Padrilha e a ex-servidora da Casa Civil, Caroline Mariano em 2015.

“Recebo a denúncia e o aditamento oferecido pelo Procurador-Geral da Justiça em face de Paulo Cezar Zamar Taques, por satisfazer os requisitos legais, vez que amparada em indícios de autoria e materialidade”, escreveu o magistrado.

Geller, Rosa Neide e Valtenir lideram em gastos com o "cotão"


Os deputados federais Neri Geller (PP), Rosa Neide (PT) e Valtenir Pereira (MDB) lideram os gastos com cota parlamentar entre os membros da bancada federal de Mato Grosso, entre os meses de fevereiro e julho deste ano.

Eles consumiram R$ 198,6 mil, R$ 157,9 mil e R$ 149,5 mil, respectivamente.

O chamado “cotão” é um valor a que os deputados têm direito para custear os gastos vinculados ao exercício da atividade parlamentar.

Veja o total utilizado por cada um dos deputados:
Neri Geller (PP): R$ 198.695,65
Rosa Neide (PT): R$ 157.974,01
Valtenir Pereira (MDB): R$ 149.530,56
Juarez Costa (MDB): R$ 129.050,07
Emanuelzinho (PTB): R$ 96.740,03
DR. Leonardo (SD): R$ 88.402,37
José Medeiros (Podemos): R$ 88.016,62
Carlos Bezerra (MDB): R$ 53.311,20 (esteve de licença entre os meses de março e junho)
Nelson Barbudo (PSL): R$ 37.440,69

Felipe não tem moral para falar de Bolsonaro


O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, é petista e comeu bola da Petrobras.

Tem uns ROLOS que estão pipocando já, já.

De santo não tem nada!

Documentos comprovam os contratos milionários firmados por Santa Cruz com o governo petista


A fúria do presidente do Conselho Federal da Ordem do Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, com o presidente da República Jair Bolsonaro, tem uma explicação bem lógica.

Durante o período em que o PT esteve a frente do governo, o advogado realizou contratos milionários de prestação de serviços jurídicos sem a necessidade de qualquer procedimento licitatório.

Ganhou muito dinheiro!!!

Numa simples consulta ao Portal da Transparência percebe-se o aparecimento do nome de Felipe Santa Cruz e os contratos firmados.

Alguns contratos fechados:


A Lava Jato não vai parar: 6 prisões e busca e apreensão em 15 cidades


13ª Vara Federal de Curitiba expediu 1 mandado de prisão preventiva e 5 mandados de prisão temporária na 62ª fase da Lava Jato.

33 mandados de busca em apreensão estão sendo cumpridos em 15 municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

A operação


Além de Cuiabá, os mandados são cumpridos em Boituva (SP), Fernandópolis (SP), Itu (SP), Vinhedo (SP), Piracicaba (SP), Jacareí (SP), Porto Feliz (SP), Santa Fé do Sul (SP), Santana do Parnaíba (SP), São Paulo (SP); Cassilândia (MS); Petrópolis (RJ), Duque de Caxias (RJ) e Belo Horizonte (MG).

 Traduzido do inglês, o nome da operação significa Cidade de Pedra, o que remete ao grupo investigado.

Também foi determinada ordem judicial de bloqueio de ativos financeiros dos investigados.

 Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal no Paraná, onde serão interrogados.