Ex-diretor afirma que empresas pagavam propina após receberem da Petrobras

20141019123713_cv_PAULOROBERTOClayton_PauloRobertoCosta-Charge-Br-Bomba_gdeO ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, disse hoje (13) em depoimento à Justiça Federal que as empresas que faziam parte do cartel de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato repassavam propina após receberem os pagamentos devidos pela Petrobras. Costa assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF), no qual se comprometeu a dizer a verdade em troca de benefícios, como pena em regime domiciliar,
Ao responder as perguntas do juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato, o ex-diretor disse que a propina era paga de acordo com o andamento das obras e conforme as empreiteiras recebiam os repasses da estatal pelos serviços concluídos. Costa discordou dos cálculos preliminares, que davam conta de que a propina era paga de acordo com o valor total do contrato.
“A Petrobras fazia a medição [do serviço] – todo mês tinha medição de serviço. A Petrobras pagava e as empresas só pagavam [propina] para os partidos e para as outras pessoas, após receber esse valor da Petrobras. A regra geral era só pagar depois que recebia a medição”, afirmou.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis