22 de abril de 2016

Dilma se irrita: revista Time estava estampada para todo lado com foto de Sérgio Moro

dilma_time
Dilma chegou a dar um murro na porta do aeroporto ao ver a revista TIME com foto de Sérgio Moro para todo lado. Pessoas caminhavam para seu lado e pediam autografo na revista com Moro. A presidente Dilma Rousseff ficou visivelmente irritada ao ser informada, assim que chegou aos Estados Unidos nesta quinta, que o Juiz Federal Sérgio Moro foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do planeta pela revista Time. Dilma não se conforma com o fato de ter sido eleita a pior governante do mundo no ranking da revista Fortune.
Moro, que já havia figurado na lista dos 50 mais influentes da revista americana Fortune há poucos dias, figura agora entre nomes como Papa Francisco, o presidente dos EUA, Barack Obama, e o ator Leonardo DiCaprio. A lista dividida em cinco categorias, (titãs, pioneiros, artistas, líderes e ícones), conta com um artigo com o perfil de cada personalidade.

Operação Lava-Jato já tem 65 delações premiadas

lava_cunhaA Operação Lava-Jato já firmou 65 acordos de delação premiada, dos quais 51 de investigados soltos. A informação foi divulgada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em palestra na Brazil Conference, realizada pela Universidade de Harvard e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos – evento que ocorre nesta sexta-feira, 22, e sábado, 23.
O procurador-geral informou que 47 inquéritos já foram instaurados no Supremo Tribunal Federal, compreendendo 118 mandados de busca e apreensão também no âmbito da Corte, segundo informações divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria-Geral da República. Na primeira instância – em Curitiba, base da missão Lava-Jato -, destacou Janot, foram 1.177 procedimentos instaurados, com 574 mandados.

PMDB substitui José Maranhão por Dário Berger na comissão do impeachment

O senador José Maranhão (PMDB-PB) desistiu de participar da comissão que analisará, no Senado Federal, o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. No lugar dele, assumirá Dário Berger (PMDB-SC). De acordo com a assessoria de Maranhão, o senador reconsiderou a decisão de participar do colegiado porque pretende atuar exclusivamente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual é presidente.
O PMDB, partido com maior bancada no Senado, tem direito a indicar cinco integrantes para a comissão do impeachment. Além de Berger, o partido terá como titulares os senadores Raimundo Lira (PB), Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS) e Waldemir Moka (MS).

Temer diz que Brasil não merece desqualificação e agressões

dilma_temer
O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse hoje (22) que o Brasil não merece ser desqualificado com agressões à vice-presidência e que decidiu dar entrevistas à imprensa estrangeira após se sentir atacado por declarações da presidenta Dilma Rousseff. O peemedebista ocupa a Presidência desde ontem (21), quando Dilma viajou para os Estados Unidos.
“Fui provocado para aquelas entrevistas, achei que deveria dizer alguma coisa à imprensa internacional, já que houve manifestações [de Dilma] em relação à imprensa internacional, especialmente pretendendo desqualificar a minha posição. Aí não é a coisa do vice-presidente, é uma coisa do Brasil, acho que o Brasil não merece desqualificação por meio de eventuais agressões à vice-presidência”, disse Temer em entrevista na saída de seu gabinete, no anexo do Palácio do Planalto.

Vice-líderes do governo declaram voto pela admissibilidade do impeachment

Os vice-líderes do governo no Senado, senadores Hélio José (PMDB-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), declararam hoje (22) em discursos no plenário da Casa que irão votar a favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O senador Wellington, que vai integrar a comissão especial encarregada de analisar o processo, disse que ainda não tem uma posição firmada sobre o mérito afastamento.
Também o senador Hélio José, que integra a comissão como suplente, disse que ao votar pela admissibilidade no plenário do Senado e, se for chamado para votar na comissão, não estará fazendo nenhum prejulgamento, uma vez que a analise do mérito da denúncia só será feita se houver a admissão do processo, nos 180 dias de afastamento da presidenta.

Delcídio pede ao STF suspensão de processo de cassação no Senado

delcidio_agA defesa do senador Delcídio do Amaral (MS) recorreu hoje (22) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o processo de cassação contra o parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Os advogados alegam que o colegiado tem cerceado o direito de defesa do senador.
Com o recurso, a defesa pretende impedir que o senador preste depoimento ao Conselho de Ética na próxima terça-feira (26). Logo após ser solto, em dezembro do ano passado, Delcídio conseguiu um atestado médico e não compareceu a três depoimentos que foram marcados.
De acordo com os advogados, a tramitação do processo disciplinar é ilegal porque não foi suspenso durante o período da licença médica, foram rejeitados pedidos de convocação de testemunhas, não foi feito laudo pericial na gravação que justificou sua prisão e falta apensamento da íntegra do inquérito que Delcídio responde no Supremo.

Brasil fecha 118.776 postos de trabalho em março, diz Caged

economia-trabalho-desemprego-carteira-20130527-71-originalO Brasil teve a maior perda de vagas formais para meses de março em 25 anos, segundo dados divulgados hoje (22) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês passado, o país fechou 118.776 postos de trabalho com carteira assinada.
Nos últimos 12 meses, já foram suprimidas 1.853.076 milhões de vagas formais. Os números levam em conta a diferença entre demissões e contratações. Quase todos os setores da economia demitiram mais do que contrataram. A exceção foi a administração pública, com 4,3 mil vagas a mais no mês.

Mais de 118 mil empregos com carteira assinada foram extintos em março

tumblr_lrqpapi0Gx1qeg3bco1_5001
Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) divulgou, na tarde desta sexta-feira (22/4), que 118.776 empregos com carteira assinada foram extintos no país em março. Os dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) equivalem a uma variação negativa de 0,30% no estoque de empregos, comparada ao mês anterior. Com essa variação, o estoque atingiu 39,3 milhões de postos de trabalho em março.
É a primeira vez desde março de 1999 que o número de vagas cortadas é maior do que o de admissões. Também é o pior março da série histórica, que começou em 1997. No trimestre, já somam 322.992 postos de trabalho fechados.

4 de abril de 2016

Campo Novo dos Parecis investe na divulgação do Etnoturismo

A Rota Parecis é resultado de um trabalho da Prefeitura Municipal de Campo Novo do Parecis e das comunidades indígenas Parecis de resgate da história e cultura desses povos. O atrativo oferece aos visitantes dias de aprendizado, cultura, contemplação das belezas naturais e esportes radicais. Neste final de semana, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico - Sedec realizou um Fampress com a imprensa de Cuiabá para divulgar o destino turístico no estado.

O etnoturismo se apresenta como mais uma alternativa de fomento à economia da cidade, que é destaque no estado e no país pela agricultura. Conforme explica o prefeito Mauro Berft, foi necessário um trabalho de aproximação e confiança com os povos indígenas para o desenvolvimento de ações. "O município possui essa relação estreita com os indígenas e eles encontram no executivo e legislativo municipal um diálogo aberto e resposta para as demandas", afirmou.

A primeira parada da equipe de jornalistas e fotógrafos foi na Aldeia Wazare, que fica a 65 km da sede do município e é comandada pelo jovem cacique Rony Azoinaice. Criada há apenas cinco anos, a comunidade foi pensada e desenvolvida para receber visitantes, promovendo a interação entre halíti (índios) e imutis (não índios). A experiência também alia de forma exemplar o desenvolvimento e a cultura milenar. Os moradores recepcionam os turistas com apresentações de danças, pinturas corporais, contos e cantos. Por estar localizada às margens do Rio Verde, a visitação ainda inclui passeio de barco e banho.

O apoio da prefeitura municipal foi fundamental para o sucesso da experiência. Conforme explica o cacique Rony, o município de Campo Novo do Parecis sempre teve afinidade com a cultura indígena, inclusive com suporte da administração municipal para manter e divulgar a cultura indígena. "Hoje buscamos ampliar essa parceria com os governos estadual e federal, pois o turismo é uma forma de valorizar nossa cultura e manter de forma sustentável os nossos costumes", ressaltou.

A Aldeia Quatro Cachoeiras, a 33 km da cidade, é a maior das 12 comunidades indígenas e leva o nome pela localização próxima às quatro quedas d'água formadas pelo rio Sacre. Todos os 90 moradores são da família do cacique Narciso Kazaizase. Nascido em 1954, Narciso chegou a morar em um internato das Missões Jesuíticas de onde fugiu e criou a aldeia Seringal e, posteriormente, mudou-se para a região atual.

Durante a visita, os índios mais jovens fizeram uma demonstração do Jikunahati (futebol de cabeça ou cabeça-bol). Trata-se de um jogo tradicional, praticado apenas pelos homens. O esporte é disputado com a igomaliró, uma bola feita através da extração do leite da mangaba. O passe da bola é feito utilizando apenas a cabeça, o que pode resultar em mergulhos rentes ao solo. Tradicionalmente, são feitas apostas antes de cada partida e o jogo só é suspenso quando se esgotam as provisões de uma das equipes.

O encerramento do fampress em Campo Novo do Parecis ocorreu na cachoeira Salto Utiariti, na aldeia que leva o mesmo nome do atrativo. Localizada a 96 km da sede do município, a comunidade é comandada pelo cacique Orivaldo Koremazokae e é a que apresenta menos elementos tradicionais das três. Com casas de alvenaria e vestimentas comuns, a aldeia Utiariti também deve passar pelo processo de resgate cultural, com o suporte da prefeitura municipal, para integrar o roteiro de etnoturismo.

Além da contemplação dos 98 metros de queda d'água e exuberante paisagem, a cachoeira oferece piscinas com correntes de água morna e fria para banho e caverna para exploração. A experiência é completa com descida de rapel, operada com segurança pelos profissionais da Equipe Vertical.
Todas as atrações da Rota Parecis são comercializadas em agência de turismo e sites especializados. As visitações ocorrem com após autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai), de Campo Novo do Parecis.

2 de abril de 2016

Dilma: Uma presidente fora de si

dilmaIOs últimos dias no Planalto têm sido marcados por momentos de extrema tensão e absoluta desordem com uma presidente da República dominada por sucessivas explosões nervosas, quando, além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País. Não bastassem as crises moral, política e econômica, Dilma Rousseff perdeu também as condições emocionais para conduzir o governo. Assessores palacianos, mesmo os já acostumados com a descompostura presidencial, andam aturdidos com o seu comportamento às vésperas da votação do impeachment pelo Congresso. Segundo relatos, a mandatária está irascível, fora de si e mais agressiva do que nunca. Lembra o Lula dos grampos em seus impropérios. Na última semana, a presidente mandou eliminar jornais e revistas do seu gabinete.
Agora, contenta-se com o clipping resumido por um de seus subordinados. Mesmo assim, dispara palavrões aos borbotões a cada nova e frequente má notícia recebida. Por isso, os mais próximos da presidente têm evitado tecer comentários sobre a evolução do processo de impeachment. Nem com Lula as conversas têm sido amenas. Num de seus acessos recentes, Dilma reclamou dos que classificou de “traidores” e prometeu “vingança”. Numa conversa com um assessor, na semana passada, a presidente investiu pesado contra o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato. “Quem esse menino pensa que é? Um dia ele ainda vai pagar pelo quem vem fazendo”, disse.
Há duas semanas, ao receber a informação da chamada “delação definitiva” em negociação por executivos da Odebrecht, Dilma teria, segundo o testemunho de um integrante do primeiro escalão do governo, avariado um móvel de seu gabinete, depois de emitir uma série de xingamentos. Para tentar aplacar as crises, cada vez mais recorrentes, a presidente tem sido medicada com dois remédios ministrados a ela desde a eclosão do seu processo de afastamento: rivotril e olanzapina, este último usado para esquizofrenia, mas com efeito calmante. A medicação nem sempre apresenta eficácia, como é possível notar.
Isto É

Médicos do Ceará recebem Lula e pede saúde e menos triplex

medicos ceara

30 de março de 2016

Rompimento com o governo marca homenagem aos 50 anos do PMDB

PMDB50
Ainda em clima de ressaca pela decisão do Diretório Nacional do PMDB que, ontem (29), por aclamação, deixou a base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, poucos parlamentares da legenda participaram hoje (30) da sessão solene marcada para comemorar os 50 anos do partido. A cerimônia foi na Câmara dos Deputados. Nenhum senador ou figuras históricas do PMDB, como o ex-senador Pedro Simon e ex-presidente José Sarney, compareceram, assim como o presidente da legenda, Michel Temer, vice-presidente da República.
O dever de falar sobre a importância do rompimento no momento de aniversário da legenda ficou com o advogado e ex-deputado Eliseu Padilha, vice-presidente do PMDB e ex-ministro da Aviação Civil no governo Dilma. Padilha disse que a decisão reflete o que “há décadas” a maioria dos correligionários desejava. “De cada 10 peemedebistas, 11 queriam e querem a candidatura própria, projeto próprio correspondente ao tamanho do nosso partido. Ontem, dissemos que estamos independentes e vamos cuidar com muito zelo das eleições municipais, pavimentando a estrada para chegar em alta velocidade a 2018”, disse.

Planalto desconfia do PSD sobre impeachment

No Palácio do Planalto, há uma avaliação pessimista sobre o PSD e uma desconfiança em relação ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab.
O temor é que, apesar das garantias do ministro, a bancada na Câmara garanta uma votação expressiva a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.
A postura do líder do PSD, Rogério Rosso (DF), na comissão do impeachment tem sido criticada pelos interlocutores mais próximos de Dilma.
A própria decisão do vereador paulistano Andrea Matarazzo, próximo ao tucano José Serra, de se filiar ao PSD de São Paulo, também foi recebida com desconfiança pelos palacianos.
Uma recente conversa de Kassab com o vice Michel Temer causou irritação no Planalto.
Para um ministro, o colega Kassab tem feito jogo duplo em relação ao impeachment. Por outro lado, Kassab teria feito gestos para acolher de volta ao partido a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que está sendo pressionada a deixar o PMDB. Kátia é amiga pessoal de Dilma.
Do Blog do Camarotti:

Miguel Nicolelis tem exomotivos para apoiar Dilma Rousseff e o PT

Miguel Nicolelis
Leiam o post que publicamos em 10 de outubro do ano passado:
O TCU não pegou apenas Dilma Rousseff. Pegou também Miguel Nicolelis.
A Folha de São Paulo informa que “um relatório preliminar do TCU aponta irregularidades no Campus do Cérebro, projeto idealizado pelo neurocientista Miguel Nicolelis, um dos mais famosos cientistas do Brasil”.
Orçado em quase R$ 250 milhões, o projeto inclui um centro de pesquisa em neurociência, uma escola, um centro de saúde e atividades de divulgação astronômica em Macaíba (RN).
O documento do TCU fala em ‘irregularidades graves’, diz ser admissível a anulação do contrato de gestão (que permite o repasse dos recursos) e aponta risco de perda patrimonial e de o projeto se tornar um ‘elefante branco’.
Em visitas ao espaço, os auditores verificaram que as obras estão paradas e que parte delas já está tomada pelo mato ou foi depredada”.
Não surpreende que as obras de Miguel Nicolelis estejam paradas. Seu exoesqueleto, apresentado com pompa na Copa do Mundo, também ficou parado.
O Antagonista

PP quer esperar comissão do impeachment para decidir desembarque

Com a oferta de robustos cargos à mesa, o PP ainda resiste em seguir o mesmo caminho adotado pelo PMDB e abandonar a aliança com o governo da presidente Dilma Rousseff. A informação é destaque na Veja Online. Em reunião nesta quarta-feira, a cúpula do Partido Progressista definiu que a data da convenção que vai sacramentar a posição da legenda estará atrelada à comissão que discute o impeachment de Dilma. O colegiado deve definir se pede ou não o afastamento da petista entre os dias 11 e 14 de abril.
Evidenciando o desconforto em abandonar o governo, o presidente da legenda, Ciro Nogueira (PP-PI), evitou se posicionar sobre a reunião e deixou o encontro sem dar declarações. Da mesma forma, o líder do PP na Câmara e ex-ministro de Dilma, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), adotou um tom mais conciliador e disse que o acordo obtido nesta manhã foi na direção de convocar a reunião da Executiva um dia antes ou imediatamente depois da conclusão dos trabalhos da comissão do impeachment.

Ministros do PMDB não deixarão cargo, diz Kátia Abreu em mensagem

katia_mensagem
A Folha de São Paulo revelou que a ministra Kátia Abreu (Agricultura) foi flagrada nesta quarta-feira (30), durante a cerimônia de lançamento da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida, no Palácio do Planalto, enviando mensagens nas quais afirma que ela e os outros cinco ministros do PMDB decidiram não deixar seus cargos no governo Dilma Rousseff.
No texto, ela afirma que a decisão foi tomada “ontem à noite” e cita o local: “casa de Renan”, numa referência à residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A ministra diz ainda que ela e os outros cinco correligionários se licenciarão da legenda em “respeito à decisão aprovada”.
A ministra diz ao interlocutor que a informação é segura e pede: “Confia, amigo”. A troca de mensagens ocorre menos de 24 horas depois de a direção nacional do PMDB oficializar o fim da aliança com o PT e determinar que todos os seus filiados entreguem cargos na administração federal.

29 de março de 2016

Ministro do PMDB só passou 12 dias no cargo

Mauro_LopesUm dos pivôs dos últimos confrontos entre o PMDB e o governo, o ministro da Aviação Civil, Mauro Lopes (PMDB-MG), entregará ainda nesta terça-feira (29) sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff, segundo o vice-líder do partido na Câmara Lúcio Vieira Lima (BA).
Mauro Lopes foi empossado no dia 17, ou seja, há apenas 12 dias, contrariando a decisão do comando partidário de proibir peemedebistas de aceitarem novos cargos no Executivo federal até o partido decidir se rompe ou não com o governo Dilma.
Secretário-geral do PMDB, Mauro Lopes vinha sendo ameaçado de expulsão pelos colegas caso não entregasse a pasta. A assessoria de imprensa da Secretaria de Aviação Civil informou ao Congresso em Foco que o ministro só vai se manifestar após a reunião do diretório nacional do PMDB, que deve selar o desembarque do partido.

PMDB entregará 7 pastas e 600 cargos no rompimento com Dilma

Destaque no Estadão. Num raro movimento de união partidária na história do partido, o PMDB vai aprovar na tarde desta terça-feira (29) o rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff.
A decisão, que deve ser tomada por aclamação em convenção partidária e levará à entrega de sete ministérios e outros 600 cargos na máquina pública federal, tem por objetivo fortalecer o vice-presidente e presidente do partido, Michel Temer, beneficiário direto de um eventual impeachment de Dilma.

Renan diz que vai pedir apoio ao STF caso impeachment chegue ao Senado

Renan
O presidente do Congresso Nacional e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (29) que, caso o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff seja aprovado na Câmara, ele definirá junto com o Supremo Tribunal Federal (STF) um cronograma para a análise do Senado. “Se esse processo chegar ao Senado, e eu espero que não chegue, vamos, juntamente com o Supremo Tribunal Federal, decidir um calendário. A Constituição prevê que esse julgamento aconteça em até seis meses”, afirmou.

Temer tem de demitir todos os parasitas petistas

Michel Temer já tem um programa de governo.
Ele foi entoado na reunião de hoje pelos caciques do PMDB.
O programa é: “Fora PT”.
A primeira medida de Michel Temer tem de ser a demissão de todos parasitas petistas que ocuparam o poder público.
Se ele fizer isso, seu governo pode dar certo. Se não fizer, os parasitas petistas vão destruí-lo.

Partidos rejeitam votar impeachment no domingo

Os partidos de oposição querem que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, marque para o dia 14 de abril, quinta-feira, a votação do impeachment de Dilma Rousseff no plenário da Casa.
Para os líderes, a ideia de Cunha de fazer a votação no domingo, 17, passa a ideia de que o parlamento quer promover a “espetacularização” do processo.
Do Radar On line

28 de março de 2016

Em Portugal, Mendes denuncia “sistema de corrupção generalizada” no Brasil

gilmar-mendes-10abrO ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), denunciou neste domingo, em Lisboa, “um sistema de corrupção generalizada” no Brasil, em entrevista à agência de notícias portuguesa Lusa. Em Portugal para um simpósio de Direito Constitucional, o ministro disse que há corrupção “certamente no que diz respeito ao financiamento de campanhas, basta ver as listas de quaisquer empresas”.
Nós tínhamos até recentemente, antes da decisão do Supremo, um sistema de financiamento privado: as empresas é que financiavam a política na sua substância. Mas é bem provável que esse sistema tenha sido bastante adensado, sofisticado, nesses últimos anos”, afirmou.
Gilmar Mendes contou que agora serão proibidas doações de empresas às campanhas, mas sublinhou que mesmo assim, poderá haver manipulação para as empresas continuarem a doar recursos para essas campanhas, por isso, defende uma reforma política. O ministro está em Portugal para participar de um simpósio sobre Direito Constitucional, do qual participaria o vice-presidente, Michel Temer, que cancelou sua ida.

Cinco deputados pagam aluguel pelos mesmos carros

carrosA Reavel Revendedora e Locadora de Veículos Ltda. assinou contrato com seis deputados federais, entre fevereiro de 2014 e janeiro de 2015, para locar veículos mesmo depois que a empresa teve suas atividades declaradas inativas, compulsoriamente, pela Secretaria de Fazenda de Salvador-BA, dez anos antes. A locadora recebeu quase R$ 180 mil de dinheiro público da verba indenizatória para locar seis veículos neste período de onze meses.
Como comprovação da prestação do serviço, além dos contratos firmados com os deputados, a empresa emitiu notas fiscais de preenchimento manual, as mesmas que foram apresentadas pelos parlamentares à Câmara para que os gastos fossem integralmente ressarcidos. E o foram.
Os deputados em exercício Francisco Floriano (PR-RJ), Sérgio Brito (PSD-BA) e João Carlos Bacelar (PR-BA), além de Marcos Medrado (SD-BA) e Maurício Trindade (PROS-BA), que deixaram a Câmara ao final da legislatura anterior (2011-2014), dividiram os mesmos veículos em períodos iguais. Os parlamentares contrataram a Reavel para locar carros em seus estados de origem e por eles pagaram, com dinheiro público, valores que variaram de R$ 2 mil a R$ 6,5 mil por mês e foram integralmente ressarcidos pela Câmara.

Temer busca consenso no PMDB

temer reformaO vice-presidente Michel Temer desembarca em Brasília, hoje, para tentar criar um consenso no partido pelo desembarque do governo Dilma. Vai trabalhar pessoalmente para tentar demover as últimas ideias de resistência dentro do PMDB.
A constatação do núcleo mais próximo de Temer é que, depois que o PMDB do Rio de Janeiro oficializou a saída do governo, ficou possível tentar buscar um resultado por aclamação na reunião do diretório nacional, amanhã. A avaliação dos aliados mais próximos de Temer é que é fundamental dar uma prova de unidade neste momento, com a sinalização de capacidade política de um eventual futuro governo de Temer.

Dilma tenta último movimento contra impeachment

dilma_crimesA presidente Dilma Rousseff começa a semana tentando fazer o último movimento para evitar o seu impeachment. A avaliação é que o desembarque do PMDB, dado como certo, estimulará outros partidos da base, como PP, PR, PTB e PSD, a seguir o mesmo caminho.
A contabilidade realista feita pela coordenação política do Governo acendeu o alerta: o Planalto hoje conta com apenas 130 votos seguros para barrar o impeachment – número muito distante do mínimo de 171 votos necessários na Câmara dos Deputados.

Chefes militares já se entendem com oposição

Deu no Cláudio Humberto:
claudio humberto novo
Um dos sinais reveladores do declínio da presidente Dilma no poder tem sido a aproximação dos chamados setores “de Estado” com a oposição. Representantes do Itamaraty, inconformados com a nova condição brasileira de “anão diplomático”, e a significativa interlocução com chefes militares, em geral muito discretos. Todos se mostram preocupados, mas concordam em um ponto: o governo Dilma acabou.

Governo usa cargos para atrair siglas da base

Diante da certeza de um desembarque do PMDB, o governo Dilma vai oferecer a partidos como PP, PR e PSD cargos hoje em poder dos peemedebistas e a promessa de terem um papel de “protagonistas” caso a petista sobreviva ao impeachment. Nas contas de assessores da presidente Dilma, quase 500 cargos podem entrar nas negociações se todos os peemedebistas decidirem seguir a decisão do diretório nacional do PMDB, na terça-feira (29), quando deve ser oficializado o rompimento.
Segundo apurou a Folha de S.Paulo, além destas três legendas, o governo vai fazer uma ofensiva de última hora sobre partidos menores e deputados individualmente, numa tática de operar no “varejão”, para tentar garantir os 171 votos necessários para barrar o impeachment no plenário da Câmara dos Deputados.

Dona de agência de comunicação ligada ao PT fecha delação

Uma nova delação vai deixar o Palácio do Planalto em alerta. A publicitária Danielle Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Interativa, fechou colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República na Operação Acrônimo, que apura suspeita de um esquema de desvio de dinheiro público para campanhas políticas do PT.
A empresa, que produz conteúdo para a internet, começou a trabalhar para o partido em 2010 e cresceu na esteira da campanha que elegeu Dilma Rousseff. Segundo pessoas próximas à investigação disseram à Folha, Danielle acertou com os investigadores implicar o governador Fernando Pimentel (PT-MG) e Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, empresário e amigo do petista. Os dois já estão sendo investigados.

PMDB arrasta Dilma para o poço

downloadEsta e as três próximas semanas serão decisivas para o desfecho da maior crise dos últimos 50 anos. Até aqui, tudo conspira a favor do impeachment de Dilma, a começar pela opinião pública. Segundo o instituto Datafolha, 70% dos eleitores gostariam que a presidente fosse destituída do cargo.
Amanhã, para complicar a sua situação de debilidade e fragilidade no Congresso, onde, na Comissão Especial do Impeachment, só tem 25 dos 65 votos, o PMDB anuncia seu desembarque do Governo. Isso, na verdade, será o começo do fim. Afinal, Dilma precisa reunir pelo menos 172 votos entre os 513 deputados para barrar o impeachment.

Até os movimentos sociais admitem queda de Dilma


medo-100308Até os líderes dos movimentos sociais, daqueles extremistas tipo “faca no dente” e “sangue no olho”, começam a admitir que a queda de Dilma Rousseff parece inevitável.
Para eles, as manifestações são fundamentais, a partir de agora, para “marcar posição”, indicando a agenda da esquerda num eventual governo Michel Temer.

Lula montou uma banca de 21 advogados para defendê-lo

advogados
Para enfrentar as descobertas da operação Lava Jato, tentar se defender das acusações que pesam contra si e procurar se esconder sob a prerrogativa do foro privilegiado, Lula escalou um pelotão composto por 21 advogados, entre eles seis dos mais notáveis do País que desembarcaram no caso na semana passada. E, segundo apurou ISTOÉ, após a Páscoa todos ficarão sob a coordenação de um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, hoje aposentado – ele já teria até se apresentado ao juiz federal Sérgio Moro, coordenador da operação Lava Jato.
Ouvidos por ISTOÉ, dois dos advogados arregimentados por Lula asseguraram que nada estão recebendo pelo trabalho e que fazem parte desse time “em respeito à história do ex-presidente”. No mercado jurídico, no entanto, comenta-se que, para remunerar uma equipe do porte da que foi montada, Lula teria de gastar cerca de R$ 15 milhões apenas pelo habeas corpus encaminhado ao STF no último domingo. Oficialmente Lula ainda sequer é réu, e o exército de juristas escalados por ele mostra, na prática, uma tentativa de usar nomes consagrados do Direito para tentar intimidar o Judiciário.

17 de março de 2016

Justiça decreta indisponibilidade de bens de ex-prefeito de Aripuanã

A Justiça acatou pedido do Ministério Público e decretou liminarmente a indisponibilidade dos bens do ex-prefeito de Aripuanã, Carlos Roberto Torremocha e do auxiliar de escritório, Valdecir Zorsi. Eles são acusados de causar prejuízo ao erário de aproximadamente 163 mil reais durante transação comercial de compra e venda de um imóvel rural denominado ‘Gleba Aripuanã'. De acordo com a decisão, foram bloqueados da conta de ambos o valor de 490 mil reais equivalente ao dobro do dano causado à administração pública.

Segundo o promotor de Justiça Matheus Pavão de Oliveira, em março de 2010 Valdecir Zorsi adquiriu uma área de 45,5011 has (quarenta e cinco hectares, cinquenta ares e onze centiares). Na ocasião ele pagou pelo bem o valor de 34,125 mil reais, ou seja, R$749,98 o hectare. Na época o imóvel possuía apenas uma casa e um curral como benfeitorias.

Passado um mês da negociação, em abril de 2010, o município de Aripuanã por meio de seu então prefeito, Carlos Torremocha, manifestou interesse na aquisição do imóvel rural sob justificativa de precisar de apenas 21 hectares, inclusive uma Lei municipal foi editada autorizando a aquisição de parte do imóvel. A compra teria como objetivo a implantação de projeto experimental na área de agricultura a ser desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

Ocorre que o hectare, que até então havia sido negociado por Valdecir pelo valor de 749,98 reais, passou a ter o valor reajustado para 4,3 mil reais, quase seis vezes mais caro que o preço negociado anteriormente pelo antigo proprietário do imóvel. O pagamento do foi feito de forma parcelada pelo município no valor de R$195 mil. “Muito embora o imóvel rural tenha sido adquirido por valor muito superior ao de mercado, jamais foi utilizado pela administração pública, porquanto sequer foi incluído no plano plurianual”, explicou o promotor.

Diante dos fatos a Justiça concluiu que “o Município de Aripuanã foi lesado não apenas pela aquisição de um imóvel por valor superior ao de mercado, mas, sobretudo, pela aquisição de um imóvel imprestável e inútil à coletividade. Isso porque o ex-Prefeito Municipal, Carlos Roberto Torremocha nunca deu nenhuma destinação ao local.


Juízes federais apoiam Sergio Moro

sergiomoro
A Associação dos Juízes Federais divulgaram uma nota de apoio a Sergio Moro.
Leiam:
A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) vem a público manifestar total apoio ao juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, na condução dos processos relacionados à Operação Lava Jato.
O juiz federal Sérgio Moro retirou o sigilo do processo de interceptação telefônica deferido judicialmente – com concordância do Ministério Público Federal – em face do ex-presidente Lula, que revela diálogos de graves repercussões, inclusive com a presidente da República Dilma Rousseff.
O artigo 5º, LX, da Constituição Federal estabelece como princípio a publicidade dos atos processuais. A prova resultante de interceptação telefônica só deve ser mantida em sigilo absoluto quando revelar conteúdo pessoal íntimo dos investigados. Tal não acontece em situações em que o conteúdo é relevante para a apuração de supostas infrações penais, ainda mais quando atentem contra um dos Poderes, no caso o Judiciário.
“Nos termos da Constituição, não há qualquer defesa de intimidade ou interesse social que justifiquem a manutenção do segredo em relação a elementos probatórios relacionados à investigação de crimes contra a Administração Pública”, diz a fundamentação da decisão do juiz federal Sérgio Moro.
As decisões tomadas pelo magistrado federal no curso deste processo foram fundamentadas e embasadas por indícios e provas técnicas de autoria e materialidade, em consonância com a legislação penal e a Constituição Federal, sempre respeitando o Estado de Direito. No exercício de suas atribuições constitucionais, o juiz federal Sérgio Moro tem demonstrado equilíbrio e senso de justiça.
A Ajufe manifesta apoio irrestrito e confiança no trabalho desenvolvido com responsabilidade pela Justiça Federal no Paraná, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, bem como pelo Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal – todas a partir da investigação da Polícia Federal, Receita Federal e do Ministério Público Federal.
A Ajufe não vai admitir ataques pessoais de qualquer tipo, principalmente declarações que possam colocar em dúvida a lisura, a eficiência e a independência dos juízes federais brasileiros.

Cadê o atestado de “boa conduta” de Lula Jararaca!

ter lula careta um
Todo cidadão brasileiro tem que ter um atestado de bons antecedentes (de boa conduta) para assumir um emprego ou um cargo no país. Cadê o atestado de boa conduta de Lula? Como é que ele pode assumir um ministério? Só sendo no Brasil do PT.

Lula levou a Lava Jato para dentro do Palácio do Planalto

lula_dilma
O colunista Gerson Camarotti revelou que o núcleo mais próximo da presidente Dilma Rousseff estava atordoado no Palácio da Alvorada durante boa parte da noite. Pela primeira vez, houve o reconhecimento de que a situação política ficou insustentável. De forma reservada, alguns auxiliares já reconhecem que foi um grande erro ter deflagrado a operação para transformar Lula em ministro com o objetivo de tirar a investigação sobre o ex-presidente da mira do juiz Sérgio Moro.
Há o reconhecimento interno de que ficou frágil a explicação do Palácio do Planalto sobre o episódio porque não responde à principal questão revelada pela conversa entre Lula e Dilma: a pressa desesperada para transformá-lo em ministro.
No início da noite, foi revelada uma gravação com autorização judicial entre o ex-presidente Lula e a presidente Dilma. Na conversa telefônica, Dilma diz que encaminhará a ele o “termo de posse” de ministro para que seja usado em caso de necessidade. Os investigadores da Lava Jato interpretaram o diálogo como uma tentativa de Dilma de evitar uma eventual prisão de Lula.
Auxiliares reconhecem que o episódio levou a Lava Jato para dentro do Palácio do Planalto de forma definitiva. E que Lula virou um problema de difícil solução. “O objetivo inicial era de que ele ajudaria a barrar o processo de impeachment. Mas, agora, ele pode ser o deflagrador desse processo de queda do governo”, reconheceu agora à noite um interlocutor da presidente Dilma, assustado com a dimensão da crise política.

Diretor da OAS sobre o tríplex e o sítio: ‘O presidente pediu e eu fiz’

Em uma das ligações interceptadas, o diretor da OAS Paulo Gordinho, encarregado de resolver a reforma e comprar os móveis para o sítio de Atibaia e o tríplex do Guarujá, fala sobre o assunto. A notícia é destaque na VEJA. Diz a Polícia Federal: “Na referida ligação, resta-se claro que realmente os serviços/reformas nos imóveis objeto de investigação nesta Operação Lava Jato, foram prestados/realizadas pelo engenheiro da Construtora OAS em favor do senhor Luiz Inácio Lula da Silva”.
GORDILHO: Oi Cassinha!
HNI: Alô?! Alô? Quem?
GORDILHO: Alô, é PAULO GORDILHO, CASSIA tá aí?!
HNI: Ô, PAULO!
GORDILHO: Oi, “Di”, tudo bem?!
HNI: Tudo joia. (Ininteligível)
GORDILHO: Diz que CASSIA me ligou aí
HNI: Sim, deixa eu passar pra ela, só um instantinho.
GORDILHO: Tá, um abração querido!
HNI: Abraço.
CASSIA: Alô
GORDILHO: Oi “CASSINHA”, tudo bem? Como é que estão as coisas?
CASSIA: Tá, tão indo bem, a gente já foi viajar, voltamos, tamo preocupados aí com o seu abatimento, porque o resto nós não temos nenhuma dúvida, é só uma questão de passar por essa chateação.
GORDILHO: Essa fase espetaculosa.
CASSIA: É, então, você ficou famoso ne?!
GORDILHO: É, e não roubei, não matei, não ganhei nenhum dinheiro com isso.
CASSIA: Você tenha certeza.
GORDILHO: Só fui prestar (ininteligível), O PRESIDENTE PEDIU E EU FIZ.

Lula sabia que estava sendo interceptado

lula-celular
O juiz Sérgio Moro retirou o sigilo de interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No despacho em que libera as gravações, Moro afirma que, “pelo teor dos diálogos degravados, constata-se que o ex-presidente já sabia ou pelo menos desconfiava de que estaria sendo interceptado pela Polícia Federal, comprometendo a espontaneidade e a credibilidade de diversos dos diálogos”.
Moro afirma, ainda, que alguns diálogos sugerem que Lula já sabia das buscas feitas pela 24ª fase da Operação Lava Jato no início do mês. As conversas gravadas pela Polícia Federal incluem diálogo desta quarta (16) com a presidente Dilma Rousseff, que o nomeou como ministro chefe da Casa Civil.

‘Armação’ de Dilma pode lhe custar o mandato


Deu no Cláudio Humberto:
claudio humberto novo
A Constituição prevê a perda de mandato de presidente da República que atue para impedir o livre exercício de outro poder. A “armação” de Dilma com Lula para nomeá-lo ministro, com o intuito impedir qualquer ação da operação Lava Jato, configura-se quando Dilma avisa que um portador levará até ele um “termo de posse”, de uma posse ainda não realizada, para ser usado como um “salvo conduto”. Tudo para impedir o cumprimento de eventuais mandados judiciais contra o ex-presidente.

16 de março de 2016

Ministro do STF decide que Moro deve investigar mulher e filha de Cunha

filha_cunha
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou ao juiz federal Sérgio Moro parte da investigação da Operação Lava Jato que envolve Cláudia Cruz e Danielle Cunha, mulher e filha do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ministro atendeu a um pedido do Procuradoria-Geral da República (PGR).
De acordo com o procurador, a mulher e a filha de Eduardo Cunha devem responder às acusações na primeira instância da Justiça Federal em Curitiba por não terem foro por prerrogativa de função. De acordo com a denúncia apresentada neste mês contra o presidente da Câmara, Cláudia e Danielle, que também são investigadas com o marido e pai no Supremo, foram beneficiadas pelos recursos que estavam depositados em contas na Suíça atribuídas a Cunha. Com a decisão, somente Cunha reponderá às acusações no STF.

Para delator, Andrade Gutierrez é mais tucana e Odebrecht é mais petista

delcidio
Ao relacionar, em sua delação premiada, algumas das principais doadoras de campanhas eleitorais no país, o senador Delcídio Amaral (sem partido – MS) declarou que a empreiteira Odebrecht e a OAS são mais petistas, e que a Andrade Gutierrez é mais ‘tucana’, mas todas elas atuam ecumenicamente quanto o assunto é doação de campanha.

Jararaca terminou a noite sem a nomeação de ministro

20140902114347_cv_INACIOdilmalula1_gde
Terminou por volta das 23h25, após cerca de quatro horas e meia de reunião, o encontro desta terça-feira (15) entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio da Alvorada, em Brasília. Segundo informou o Blog da Cristiana Lôbo, a reunião foi inconclusiva, e os dois decidiram continuar a conversa na manhã desta quarta-feira (16).
Acompanhados pelos ministros Jaques Wagner (Casa Civil) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), Dilma e Lula discutiram eventual nomeação do ex-presidente petista para um dos cargos no primeiro escalão do governo. Procurada pelo G1, a Secretaria de Comunicação Social informou que não havia previsão de divulgar um comunicado oficial com o resultado da reunião.
Lula desembarcou em Brasília nesta terça. A possibilidade de ele assumir um ministério vem sendo defendida desde as últimas semanas por Dilma, auxiliares dela, como Jaques Wagner, Berzoini e Edinho Silva (Comunicação Social), além de parlamentares, como o líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE).

Lula em ministério pode ser tiro no pé

Ao virar ministro, para se livrar das garras do juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Lula dá um duplo golpe: na Justiça, que desmoraliza, e na própria presidente Dilma Rousseff, que vira uma verdadeira rainha da Inglaterra. Mas o tiro pode sair pela culatra. O jurista Leonardo Sarmento diz que a finalidade da nomeação de Lula, que não é administrativa, pode ser anulada porque está sendo deturpada da sua finalidade, visando somente a concessão de foro privilegiado, ocorrendo o que caracteriza “jogo de desvio de finalidade”.

Delcídio afirma que é ‘profeta do caos’ e Mercadante, ‘amigo da onça’

delcidio_02
Nesta terça (15), após o teor de sua colaboração premiada atingir alguns dos principais gabinetes de Brasília, o senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) citou sua própria versão da célebre frase proferida pelo vilão da saga. “Eu não sou vilão. Eu não sou bandido. Eu sou um profeta do caos”, disse, expressando um certo orgulho.
Em entrevista à Folha, o senador ironizou Aloizio Mercadante (Educação), ex-colega de Legislativo que, segundo o senador, tentou evitar a delação oferecendo apoio financeiro e lobby junto ao STF (Supremo Tribunal Federal). Refutou a ideia de que o ministro de Dilma Rousseff oferecera ajuda por amizade. “Amigo? Ele é amigo da onça! Onde ele era meu amigo? Minha história toda no Senado é de briga com ele. Todo mundo sabe disso”, rebateu.

Lula quer amarrar sua indicação com o PMDB

noO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse à presidente Dilma Rousseff, na noite desta terça-feira, que precisa amarrar todas as pontas com o PMDB antes de decidir se assume ou não a Secretaria de Governo. Dilma e Lula voltarão a se reunir hoje, em café da manhã no Palácio da Alvorada.
Na conversa de ontem, que durou quatro horas e meia, Lula mostrou dúvidas sobre a entrada na equipe e contou ter sido informado por integrantes do PMDB de que sua presença no ministério, nesse momento, não daria “governabilidade plena” a Dilma nem teria o condão de, por si só, barrar o impeachment.