26 de maio de 2016

Agronegócio articula impeachment de Pedro Taques. Vice Carlos Fávaro deve assumir o Governo

DO MUVUCA POPULAR
Da redação / Muvuca Popular - Com dois senadores, quatro deputados federais, mais de uma dezena de estaduais e uma ampla maioria de prefeitos e vereadores ligados ao setor, o agronegócio de Mato Grosso, já começa sondar a possibilidade de articular o impeachment do governador Pedro Taques PSDB). Em seu lugar, assumiria um legítimo representante, o vice´governador Carlos Fávaro.
Nos corredores do congresso nacional, o governador tucano já é visto como a bola da vez, no sentido de ser o próximo da lista a ser afastado do cargo, e os argumentos são os mesmos utilizados para afastar a presidente Dilma Rousseff: as pedaladas fiscais.
Nesse caso, não seria golpe, já que o próprio Taques defendeu ferrenhamente o afastamento da presidente, deu entrevistas e até saiu nas ruas defendendo o impedimento justamente por esse motivo. As provas das pedaladas de Taques estão sendo publicadas todos os dias no Diáiro Oficial, que mostra a transferência de recursos de um setor para outro, a título de suplementação, descumprindo a LOA e portanto cometendo o mesmo erro administrativo que a petista.
Políticamente, três elementos são necessários para ocorrer o impeachment de Pedro Taques:
  1. Clamor popular, conseguido nos últimos dias impulsionado pelo funcionalismo público que saiu às ruas contra o governo;
  2. Corrupção, que foi demonstrado através de operações do Gaeco na Secretaria de Educação;
  3. Maioria parlamentar, que deve começar ser articulada à partir da próxima semana.
Além disso, Taques também está perdendo sua principal base de apoio, o agronegócio, que financiou majoritariamente sua campanha ao governo, e descobriu que ele está por trás da articulação em torno da taxação das commodities.
A taxação vem sendo defendida por setores e políticos ligados ao governador, e é encarado como uma forma sorrateira para não encarar a polêmica de frente, tentando esconder a mão e com isso afastando qualquer possibilidade de apoio popular, já que o próprio funcionalismo que que está contra seu governo, tem como uma das propostas essa taxação.
O vice-governador, Carlos Fávaro, que é uma indicação do agro, já dá sinais de independência. Na última viagem de Taques, por exemplo, quando Fávaro assumiu o governo interinamente, o vice publicou vários atos que contrariava a decisão do governador, entre eles derrubou o decreto que tirava a autonomia jurídica da vice-governadoria, que Taques havia imposto em 2015, quando vinculou o setor à Casa Militar, que é diretamente subordinada ao governador e cujo Secretário era indicação política do primo, Paulo Taques.
Outros movimentos políticos vem acontecendo nos bastidores do Paiaguás com fortes ramificações em Brasília, e vice-versa. O Muvuca Popular irá publicar os detalhes na próxima semana.

Justiça alemã investiga reedição do livro de Adolf Hitler

kampf
A Procuradoria-Geral de Bamberg, Sul da Alemanha, informou hoje (26) que está investigando os planos da editora Der Schelm, com sede em Leipzig, de publicar uma edição sem comentários de Mein Kampf, (Minha luta) livro de Adolf Hitler. O proprietário da editora, Adrian Preissinger, confirmou a intenção de publicar o livro no verão, na sua versão original, mas não especificou o formato, nem onde será impresso.
A edição poderá ser a primeira que inclui apenas o texto do líder nazista. Esse tipo de divulgação pode ser considerado apologia ao nazismo e incitação ao ódio racial na Alemanha e, portanto, tratado como crime. “Estamos verificando se avançamos com uma ação judicial”, disseram procuradores ao jornal alemão Bild.
Os direitos de publicação da principal obra de Hitler ficaram sob custódia das autoridades da Baviera desde a morte do ditador, em 1945. A Baviera impediu a reedição durante décadas, por temer que se torne objeto de culto dos neonazistas. Apesar de não ser editada na Alemanha, a obra está acessível por meio de edições estrangeiras.

Ela é do PT? Ex-primeira dama da Costa do Marfim é condenada a 20 anos de cadeia

marfim
A Suprema Corte da Costa do Marfim rejeitou, nesta quinta-feira (26), o recurso apresentado pela ex-primeira-dama marfinense Simone Gbagbo, tornando definitiva sua condenação a 20 anos de prisão por atentar contra a Segurança Nacional. A informação foi dada por um de seus advogados.
O advogado Rodrigue Dadjé criticou a “decisão política” e considerou que “há argumentos jurídicos suficientes para anular a condenação”.
Mulher do ex-presidente Laurent Gbagbo e atualmente detida em Abidjan, Simone foi condenada em 10 de março de 2015 a 20 anos de reclusão por “atentado à Segurança Nacional”. A pena aplicada foi o dobro da que havia sido pedida pelo Ministério Público.

Agora vai! Alexandre Frota apresentou pauta para a educação

frotaO ministro da Educação Mendonça Filho se reuniu na tarde desta quarta-feira (25) com o ator Alexandre Frota e alguns integrantes do grupo Revoltados Online, que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff. O encontro não estava previsto na agenda oficial do ministro, mas foi divulgado por Frota em seu perfil no Facebook e na página do Revoltados Online.
O grupo entregou uma pauta com propostas para a área de educação, e espera que o documento seja encaminhado ao presidente interino, Michel Temer. Um vídeo mostra o momento em que Mendonça Filho entra no gabinete e, a pedidos, acena para a câmera.

Jornalistas mercenários pagos para defender Lula e Dilma.

jornalismoReinaldo Azevedo descobriu quanto ganham os mercenários da TV Brasil para fazer propaganda de Lula eDilma Rousseff:
Aderbal Freire Filho, que acha que o impeachment é golpe, tem um programa sobre teatro chamado A Arte do Artista. Para dar pinta lá uma vez por semana, recebe R$ 68 mil mensais. Tem contrato até o fim do ano”.
Aderbal Freire Filho, lembra Reinaldo Azevedo, é casado com Marieta Severo, ex-mulher de Chico Buarque.
“Outro que não passa apertado é Luis Nassif. Embora ninguém veja a defesa que ele faz do governo, tem um contrato anual de R$ 761 mil”.
Paulo Moreira Leite: R$ 279 mil. Emir Sader: R$ 227 mil. Tereza Cruvinel: R$ 182 mil.

VEJA - Fiéis montam tapetes de Corpus Christi pelo país

Fiéis montaram tapetes para celebrar o Corpus Christi em diversas cidades do país nesta quinta-feira (26). Eles usam serragem, flores, pó de café, sal e materiais reciclados nos desenhos coloridos de inspiração religiosa. Os tapetes são usados na passagem das procissões que marcam a data. Confira como foi a celebração pelo Brasil:
BAHIA
Em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, os fiéis montaram tapetes tradicionais do Corpus Christi  que totalizaram 2 km.Também houve celebrações da data na capital baiana.
Dia de Corpus Christi tem procissão e missa em Feira de Santana (Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade)
CEARÁ
Fiéis católicos de várias cidades do Ceará também fizeram tapetes nesta quinta-feira.
Fiéis montam tapetes de Corpus Christi no Ceará (Foto: Padre Francisco Ernandir/Arquivo pessoal)
DISTRITO FEDERAL
Fiéis montaram um tapete para celebrar Corpus Christi no Eixo Monumental, em Brasília.
Fiéis montam tapete em comemoração a Corpus Christi, no DF (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
ESPÍRITO SANTO
O feriado teve a tradicional montagem de tapetes de Norte a Sul do Espírito Santo. Em Castelo, Linhares, Vitória e Vila Velha não faltaram voluntários para deixar a festa bonita.
Tapetes em Castelo na região Sul do Espírito Santo (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
GOIÁS
Fiéis se reúnem nesta manhã para montar os tradicionais tapetes de serragem no anel interno da Praça Cívica, em Goiânia. A expectativa é formar uma passarela de 1 km com imagens para celebrar Corpus Christi.
Fiéis montam tapetes de serragem com arte sacra em Goiânia Goiás Corpus Christi (Foto: Thaís Luquesi/TV Anhanguera)
MATO GROSSO DO SUL
Em Campo Grande, grupos de cristãos chegaram por volta das 6h para montar tapete.
Tapete Corpus Christi Campo Grande MS (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)
MINAS GERAIS
Cidades do Sul de Minas, como Poços de Caldas, Pouso Alegre, Jacutinga e Varginha, realizam celebrações e as procissões sobre o tapete de Corpus Christi.
Patchwork é usado para desenhar imagens sacras em mantas que cobrirão trajeto da procissão de Corpus Christi nesta quinta-feira (26) em Jacutinga, MG (Foto: Daniela Ayres/ G1)
Um tapete de mais de um quilômetro marca a tradicional procissão em Belo Horizonte.
Tapete montado em frente à paróquia de Belo Horizonte, em MG (Foto: Reprodução)
Em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, voluntários passaram a madrugada preparando os tapetes de serragem para a tradicional procissão.
Tradição de enfeitar as ruas de Sabará envolve toda a comunicação por gerações (Foto: Aline Aguiar/TV Globo)
PARANÁ
Milhares de fiéis de Curitiba participaram da tradição e tiveram que enfrentar o frio de 9ºC registrados nas primeiras horas do dia.
No bairro Boqueirão, tapete começou a ser feito por volta das 2h desta quinta-feira (26) (Foto: Karine Garcia / RPC )
PERNAMBUCO
Tapetes para celebrar o dia também foram montados em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Ao todo foram feitos 300 metros de  tapete, que são usados na passagem da procissão. O trabalho envolveu cerca de 300 pessoas.
Tapete começou a ser montado na porta da Igreja Catedral, em Petrolina (Foto: Paulo Ricardo Sobral/ TV Grande Rio)
RIO DE JANEIRO
Fiéis católicos de várias paróquias do município de São Gonçalo se uniram num mutirão durante a madrugada para a confecção do tradicional tapete.
Tradicional tapete de sal montado em São Gonçalo, no Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)
RIO GRANDE DO SUL
Em Porto Alegre, em vez de montar os tapetes que costumam cobrir as ruas com serragem colorida, os fiéis decidiram celebrar a data com um gesto de caridade. Oitenta e duas paróquias se uniram para arrecadar 1.660 cobertores e montar um tapete diferente.
Fiéis fazem tapete de Corpus Christi com cobertores em Porto Alegre (Foto: Reprodução/RBS TV)
SÃO PAULO
Fiéis enfrentaram o frio na madrugada desta quinta-feira (26) para decorar o calçadão da Catedral da Sé, em São Paulo. No centro histórico de Santana de Parnaíba, os tapetes são construídos perto da igreja matriz. No total, 150 pessoas trabalham na confecção dos 60 tapetes, que vão se estender por 850 metros.
Tapete montado em frente à catedral da Sé, no Centro de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Campeãs de handebol celebram título despidas

A equipa de handebol feminina Frederiksberg IF conquistou um torneio de sub-19 do município de Verl, na Alemanha, e decidiu celebrar o título de uma forma inusitada. 
As jogadoras resolveram tirar a roupa e partilharam a fotografia nas redes sociais. 
Para além de ganharem o torneio, diante o Klub Figas Aalsmeer, por 12-7, a imagem desta equipe tornou-se viral nas redes sociais, tornando-as famosas. 

5 de maio de 2016

Teori afasta Eduardo Cunha do mandato na Câmara

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki determinou nesta quinta-feira (5) o afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato de deputado federal. A informação é da Folha de São Paulo. Relator da Lava Jato, o ministro concedeu uma liminar em um pedido de afastamento feito pela Procuradoria-Geral da República e apontou 11 situações que comprovariam o uso do cargo pelo deputado para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações”.
Na peça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a classificar o peemedebista de “delinquente”. O peemedebista foi transformado em réu no STF, por unanimidade, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro sob a acusação de integrar o esquema de corrupção da Petrobras, tendo recebido neste caso US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da estatal.

22 de abril de 2016

Dilma se irrita: revista Time estava estampada para todo lado com foto de Sérgio Moro

dilma_time
Dilma chegou a dar um murro na porta do aeroporto ao ver a revista TIME com foto de Sérgio Moro para todo lado. Pessoas caminhavam para seu lado e pediam autografo na revista com Moro. A presidente Dilma Rousseff ficou visivelmente irritada ao ser informada, assim que chegou aos Estados Unidos nesta quinta, que o Juiz Federal Sérgio Moro foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do planeta pela revista Time. Dilma não se conforma com o fato de ter sido eleita a pior governante do mundo no ranking da revista Fortune.
Moro, que já havia figurado na lista dos 50 mais influentes da revista americana Fortune há poucos dias, figura agora entre nomes como Papa Francisco, o presidente dos EUA, Barack Obama, e o ator Leonardo DiCaprio. A lista dividida em cinco categorias, (titãs, pioneiros, artistas, líderes e ícones), conta com um artigo com o perfil de cada personalidade.

Operação Lava-Jato já tem 65 delações premiadas

lava_cunhaA Operação Lava-Jato já firmou 65 acordos de delação premiada, dos quais 51 de investigados soltos. A informação foi divulgada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em palestra na Brazil Conference, realizada pela Universidade de Harvard e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos – evento que ocorre nesta sexta-feira, 22, e sábado, 23.
O procurador-geral informou que 47 inquéritos já foram instaurados no Supremo Tribunal Federal, compreendendo 118 mandados de busca e apreensão também no âmbito da Corte, segundo informações divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria-Geral da República. Na primeira instância – em Curitiba, base da missão Lava-Jato -, destacou Janot, foram 1.177 procedimentos instaurados, com 574 mandados.

PMDB substitui José Maranhão por Dário Berger na comissão do impeachment

O senador José Maranhão (PMDB-PB) desistiu de participar da comissão que analisará, no Senado Federal, o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. No lugar dele, assumirá Dário Berger (PMDB-SC). De acordo com a assessoria de Maranhão, o senador reconsiderou a decisão de participar do colegiado porque pretende atuar exclusivamente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual é presidente.
O PMDB, partido com maior bancada no Senado, tem direito a indicar cinco integrantes para a comissão do impeachment. Além de Berger, o partido terá como titulares os senadores Raimundo Lira (PB), Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS) e Waldemir Moka (MS).

Temer diz que Brasil não merece desqualificação e agressões

dilma_temer
O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse hoje (22) que o Brasil não merece ser desqualificado com agressões à vice-presidência e que decidiu dar entrevistas à imprensa estrangeira após se sentir atacado por declarações da presidenta Dilma Rousseff. O peemedebista ocupa a Presidência desde ontem (21), quando Dilma viajou para os Estados Unidos.
“Fui provocado para aquelas entrevistas, achei que deveria dizer alguma coisa à imprensa internacional, já que houve manifestações [de Dilma] em relação à imprensa internacional, especialmente pretendendo desqualificar a minha posição. Aí não é a coisa do vice-presidente, é uma coisa do Brasil, acho que o Brasil não merece desqualificação por meio de eventuais agressões à vice-presidência”, disse Temer em entrevista na saída de seu gabinete, no anexo do Palácio do Planalto.

Vice-líderes do governo declaram voto pela admissibilidade do impeachment

Os vice-líderes do governo no Senado, senadores Hélio José (PMDB-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), declararam hoje (22) em discursos no plenário da Casa que irão votar a favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O senador Wellington, que vai integrar a comissão especial encarregada de analisar o processo, disse que ainda não tem uma posição firmada sobre o mérito afastamento.
Também o senador Hélio José, que integra a comissão como suplente, disse que ao votar pela admissibilidade no plenário do Senado e, se for chamado para votar na comissão, não estará fazendo nenhum prejulgamento, uma vez que a analise do mérito da denúncia só será feita se houver a admissão do processo, nos 180 dias de afastamento da presidenta.

Delcídio pede ao STF suspensão de processo de cassação no Senado

delcidio_agA defesa do senador Delcídio do Amaral (MS) recorreu hoje (22) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o processo de cassação contra o parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Os advogados alegam que o colegiado tem cerceado o direito de defesa do senador.
Com o recurso, a defesa pretende impedir que o senador preste depoimento ao Conselho de Ética na próxima terça-feira (26). Logo após ser solto, em dezembro do ano passado, Delcídio conseguiu um atestado médico e não compareceu a três depoimentos que foram marcados.
De acordo com os advogados, a tramitação do processo disciplinar é ilegal porque não foi suspenso durante o período da licença médica, foram rejeitados pedidos de convocação de testemunhas, não foi feito laudo pericial na gravação que justificou sua prisão e falta apensamento da íntegra do inquérito que Delcídio responde no Supremo.

Brasil fecha 118.776 postos de trabalho em março, diz Caged

economia-trabalho-desemprego-carteira-20130527-71-originalO Brasil teve a maior perda de vagas formais para meses de março em 25 anos, segundo dados divulgados hoje (22) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês passado, o país fechou 118.776 postos de trabalho com carteira assinada.
Nos últimos 12 meses, já foram suprimidas 1.853.076 milhões de vagas formais. Os números levam em conta a diferença entre demissões e contratações. Quase todos os setores da economia demitiram mais do que contrataram. A exceção foi a administração pública, com 4,3 mil vagas a mais no mês.

Mais de 118 mil empregos com carteira assinada foram extintos em março

tumblr_lrqpapi0Gx1qeg3bco1_5001
Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) divulgou, na tarde desta sexta-feira (22/4), que 118.776 empregos com carteira assinada foram extintos no país em março. Os dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) equivalem a uma variação negativa de 0,30% no estoque de empregos, comparada ao mês anterior. Com essa variação, o estoque atingiu 39,3 milhões de postos de trabalho em março.
É a primeira vez desde março de 1999 que o número de vagas cortadas é maior do que o de admissões. Também é o pior março da série histórica, que começou em 1997. No trimestre, já somam 322.992 postos de trabalho fechados.

4 de abril de 2016

Campo Novo dos Parecis investe na divulgação do Etnoturismo

A Rota Parecis é resultado de um trabalho da Prefeitura Municipal de Campo Novo do Parecis e das comunidades indígenas Parecis de resgate da história e cultura desses povos. O atrativo oferece aos visitantes dias de aprendizado, cultura, contemplação das belezas naturais e esportes radicais. Neste final de semana, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico - Sedec realizou um Fampress com a imprensa de Cuiabá para divulgar o destino turístico no estado.

O etnoturismo se apresenta como mais uma alternativa de fomento à economia da cidade, que é destaque no estado e no país pela agricultura. Conforme explica o prefeito Mauro Berft, foi necessário um trabalho de aproximação e confiança com os povos indígenas para o desenvolvimento de ações. "O município possui essa relação estreita com os indígenas e eles encontram no executivo e legislativo municipal um diálogo aberto e resposta para as demandas", afirmou.

A primeira parada da equipe de jornalistas e fotógrafos foi na Aldeia Wazare, que fica a 65 km da sede do município e é comandada pelo jovem cacique Rony Azoinaice. Criada há apenas cinco anos, a comunidade foi pensada e desenvolvida para receber visitantes, promovendo a interação entre halíti (índios) e imutis (não índios). A experiência também alia de forma exemplar o desenvolvimento e a cultura milenar. Os moradores recepcionam os turistas com apresentações de danças, pinturas corporais, contos e cantos. Por estar localizada às margens do Rio Verde, a visitação ainda inclui passeio de barco e banho.

O apoio da prefeitura municipal foi fundamental para o sucesso da experiência. Conforme explica o cacique Rony, o município de Campo Novo do Parecis sempre teve afinidade com a cultura indígena, inclusive com suporte da administração municipal para manter e divulgar a cultura indígena. "Hoje buscamos ampliar essa parceria com os governos estadual e federal, pois o turismo é uma forma de valorizar nossa cultura e manter de forma sustentável os nossos costumes", ressaltou.

A Aldeia Quatro Cachoeiras, a 33 km da cidade, é a maior das 12 comunidades indígenas e leva o nome pela localização próxima às quatro quedas d'água formadas pelo rio Sacre. Todos os 90 moradores são da família do cacique Narciso Kazaizase. Nascido em 1954, Narciso chegou a morar em um internato das Missões Jesuíticas de onde fugiu e criou a aldeia Seringal e, posteriormente, mudou-se para a região atual.

Durante a visita, os índios mais jovens fizeram uma demonstração do Jikunahati (futebol de cabeça ou cabeça-bol). Trata-se de um jogo tradicional, praticado apenas pelos homens. O esporte é disputado com a igomaliró, uma bola feita através da extração do leite da mangaba. O passe da bola é feito utilizando apenas a cabeça, o que pode resultar em mergulhos rentes ao solo. Tradicionalmente, são feitas apostas antes de cada partida e o jogo só é suspenso quando se esgotam as provisões de uma das equipes.

O encerramento do fampress em Campo Novo do Parecis ocorreu na cachoeira Salto Utiariti, na aldeia que leva o mesmo nome do atrativo. Localizada a 96 km da sede do município, a comunidade é comandada pelo cacique Orivaldo Koremazokae e é a que apresenta menos elementos tradicionais das três. Com casas de alvenaria e vestimentas comuns, a aldeia Utiariti também deve passar pelo processo de resgate cultural, com o suporte da prefeitura municipal, para integrar o roteiro de etnoturismo.

Além da contemplação dos 98 metros de queda d'água e exuberante paisagem, a cachoeira oferece piscinas com correntes de água morna e fria para banho e caverna para exploração. A experiência é completa com descida de rapel, operada com segurança pelos profissionais da Equipe Vertical.
Todas as atrações da Rota Parecis são comercializadas em agência de turismo e sites especializados. As visitações ocorrem com após autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai), de Campo Novo do Parecis.

2 de abril de 2016

Dilma: Uma presidente fora de si

dilmaIOs últimos dias no Planalto têm sido marcados por momentos de extrema tensão e absoluta desordem com uma presidente da República dominada por sucessivas explosões nervosas, quando, além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País. Não bastassem as crises moral, política e econômica, Dilma Rousseff perdeu também as condições emocionais para conduzir o governo. Assessores palacianos, mesmo os já acostumados com a descompostura presidencial, andam aturdidos com o seu comportamento às vésperas da votação do impeachment pelo Congresso. Segundo relatos, a mandatária está irascível, fora de si e mais agressiva do que nunca. Lembra o Lula dos grampos em seus impropérios. Na última semana, a presidente mandou eliminar jornais e revistas do seu gabinete.
Agora, contenta-se com o clipping resumido por um de seus subordinados. Mesmo assim, dispara palavrões aos borbotões a cada nova e frequente má notícia recebida. Por isso, os mais próximos da presidente têm evitado tecer comentários sobre a evolução do processo de impeachment. Nem com Lula as conversas têm sido amenas. Num de seus acessos recentes, Dilma reclamou dos que classificou de “traidores” e prometeu “vingança”. Numa conversa com um assessor, na semana passada, a presidente investiu pesado contra o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato. “Quem esse menino pensa que é? Um dia ele ainda vai pagar pelo quem vem fazendo”, disse.
Há duas semanas, ao receber a informação da chamada “delação definitiva” em negociação por executivos da Odebrecht, Dilma teria, segundo o testemunho de um integrante do primeiro escalão do governo, avariado um móvel de seu gabinete, depois de emitir uma série de xingamentos. Para tentar aplacar as crises, cada vez mais recorrentes, a presidente tem sido medicada com dois remédios ministrados a ela desde a eclosão do seu processo de afastamento: rivotril e olanzapina, este último usado para esquizofrenia, mas com efeito calmante. A medicação nem sempre apresenta eficácia, como é possível notar.
Isto É

Médicos do Ceará recebem Lula e pede saúde e menos triplex

medicos ceara

30 de março de 2016

Rompimento com o governo marca homenagem aos 50 anos do PMDB

PMDB50
Ainda em clima de ressaca pela decisão do Diretório Nacional do PMDB que, ontem (29), por aclamação, deixou a base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, poucos parlamentares da legenda participaram hoje (30) da sessão solene marcada para comemorar os 50 anos do partido. A cerimônia foi na Câmara dos Deputados. Nenhum senador ou figuras históricas do PMDB, como o ex-senador Pedro Simon e ex-presidente José Sarney, compareceram, assim como o presidente da legenda, Michel Temer, vice-presidente da República.
O dever de falar sobre a importância do rompimento no momento de aniversário da legenda ficou com o advogado e ex-deputado Eliseu Padilha, vice-presidente do PMDB e ex-ministro da Aviação Civil no governo Dilma. Padilha disse que a decisão reflete o que “há décadas” a maioria dos correligionários desejava. “De cada 10 peemedebistas, 11 queriam e querem a candidatura própria, projeto próprio correspondente ao tamanho do nosso partido. Ontem, dissemos que estamos independentes e vamos cuidar com muito zelo das eleições municipais, pavimentando a estrada para chegar em alta velocidade a 2018”, disse.

Planalto desconfia do PSD sobre impeachment

No Palácio do Planalto, há uma avaliação pessimista sobre o PSD e uma desconfiança em relação ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab.
O temor é que, apesar das garantias do ministro, a bancada na Câmara garanta uma votação expressiva a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.
A postura do líder do PSD, Rogério Rosso (DF), na comissão do impeachment tem sido criticada pelos interlocutores mais próximos de Dilma.
A própria decisão do vereador paulistano Andrea Matarazzo, próximo ao tucano José Serra, de se filiar ao PSD de São Paulo, também foi recebida com desconfiança pelos palacianos.
Uma recente conversa de Kassab com o vice Michel Temer causou irritação no Planalto.
Para um ministro, o colega Kassab tem feito jogo duplo em relação ao impeachment. Por outro lado, Kassab teria feito gestos para acolher de volta ao partido a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que está sendo pressionada a deixar o PMDB. Kátia é amiga pessoal de Dilma.
Do Blog do Camarotti:

Miguel Nicolelis tem exomotivos para apoiar Dilma Rousseff e o PT

Miguel Nicolelis
Leiam o post que publicamos em 10 de outubro do ano passado:
O TCU não pegou apenas Dilma Rousseff. Pegou também Miguel Nicolelis.
A Folha de São Paulo informa que “um relatório preliminar do TCU aponta irregularidades no Campus do Cérebro, projeto idealizado pelo neurocientista Miguel Nicolelis, um dos mais famosos cientistas do Brasil”.
Orçado em quase R$ 250 milhões, o projeto inclui um centro de pesquisa em neurociência, uma escola, um centro de saúde e atividades de divulgação astronômica em Macaíba (RN).
O documento do TCU fala em ‘irregularidades graves’, diz ser admissível a anulação do contrato de gestão (que permite o repasse dos recursos) e aponta risco de perda patrimonial e de o projeto se tornar um ‘elefante branco’.
Em visitas ao espaço, os auditores verificaram que as obras estão paradas e que parte delas já está tomada pelo mato ou foi depredada”.
Não surpreende que as obras de Miguel Nicolelis estejam paradas. Seu exoesqueleto, apresentado com pompa na Copa do Mundo, também ficou parado.
O Antagonista

PP quer esperar comissão do impeachment para decidir desembarque

Com a oferta de robustos cargos à mesa, o PP ainda resiste em seguir o mesmo caminho adotado pelo PMDB e abandonar a aliança com o governo da presidente Dilma Rousseff. A informação é destaque na Veja Online. Em reunião nesta quarta-feira, a cúpula do Partido Progressista definiu que a data da convenção que vai sacramentar a posição da legenda estará atrelada à comissão que discute o impeachment de Dilma. O colegiado deve definir se pede ou não o afastamento da petista entre os dias 11 e 14 de abril.
Evidenciando o desconforto em abandonar o governo, o presidente da legenda, Ciro Nogueira (PP-PI), evitou se posicionar sobre a reunião e deixou o encontro sem dar declarações. Da mesma forma, o líder do PP na Câmara e ex-ministro de Dilma, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), adotou um tom mais conciliador e disse que o acordo obtido nesta manhã foi na direção de convocar a reunião da Executiva um dia antes ou imediatamente depois da conclusão dos trabalhos da comissão do impeachment.

Ministros do PMDB não deixarão cargo, diz Kátia Abreu em mensagem

katia_mensagem
A Folha de São Paulo revelou que a ministra Kátia Abreu (Agricultura) foi flagrada nesta quarta-feira (30), durante a cerimônia de lançamento da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida, no Palácio do Planalto, enviando mensagens nas quais afirma que ela e os outros cinco ministros do PMDB decidiram não deixar seus cargos no governo Dilma Rousseff.
No texto, ela afirma que a decisão foi tomada “ontem à noite” e cita o local: “casa de Renan”, numa referência à residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A ministra diz ainda que ela e os outros cinco correligionários se licenciarão da legenda em “respeito à decisão aprovada”.
A ministra diz ao interlocutor que a informação é segura e pede: “Confia, amigo”. A troca de mensagens ocorre menos de 24 horas depois de a direção nacional do PMDB oficializar o fim da aliança com o PT e determinar que todos os seus filiados entreguem cargos na administração federal.

29 de março de 2016

Ministro do PMDB só passou 12 dias no cargo

Mauro_LopesUm dos pivôs dos últimos confrontos entre o PMDB e o governo, o ministro da Aviação Civil, Mauro Lopes (PMDB-MG), entregará ainda nesta terça-feira (29) sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff, segundo o vice-líder do partido na Câmara Lúcio Vieira Lima (BA).
Mauro Lopes foi empossado no dia 17, ou seja, há apenas 12 dias, contrariando a decisão do comando partidário de proibir peemedebistas de aceitarem novos cargos no Executivo federal até o partido decidir se rompe ou não com o governo Dilma.
Secretário-geral do PMDB, Mauro Lopes vinha sendo ameaçado de expulsão pelos colegas caso não entregasse a pasta. A assessoria de imprensa da Secretaria de Aviação Civil informou ao Congresso em Foco que o ministro só vai se manifestar após a reunião do diretório nacional do PMDB, que deve selar o desembarque do partido.

PMDB entregará 7 pastas e 600 cargos no rompimento com Dilma

Destaque no Estadão. Num raro movimento de união partidária na história do partido, o PMDB vai aprovar na tarde desta terça-feira (29) o rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff.
A decisão, que deve ser tomada por aclamação em convenção partidária e levará à entrega de sete ministérios e outros 600 cargos na máquina pública federal, tem por objetivo fortalecer o vice-presidente e presidente do partido, Michel Temer, beneficiário direto de um eventual impeachment de Dilma.

Renan diz que vai pedir apoio ao STF caso impeachment chegue ao Senado

Renan
O presidente do Congresso Nacional e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (29) que, caso o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff seja aprovado na Câmara, ele definirá junto com o Supremo Tribunal Federal (STF) um cronograma para a análise do Senado. “Se esse processo chegar ao Senado, e eu espero que não chegue, vamos, juntamente com o Supremo Tribunal Federal, decidir um calendário. A Constituição prevê que esse julgamento aconteça em até seis meses”, afirmou.

Temer tem de demitir todos os parasitas petistas

Michel Temer já tem um programa de governo.
Ele foi entoado na reunião de hoje pelos caciques do PMDB.
O programa é: “Fora PT”.
A primeira medida de Michel Temer tem de ser a demissão de todos parasitas petistas que ocuparam o poder público.
Se ele fizer isso, seu governo pode dar certo. Se não fizer, os parasitas petistas vão destruí-lo.

Partidos rejeitam votar impeachment no domingo

Os partidos de oposição querem que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, marque para o dia 14 de abril, quinta-feira, a votação do impeachment de Dilma Rousseff no plenário da Casa.
Para os líderes, a ideia de Cunha de fazer a votação no domingo, 17, passa a ideia de que o parlamento quer promover a “espetacularização” do processo.
Do Radar On line

28 de março de 2016

Em Portugal, Mendes denuncia “sistema de corrupção generalizada” no Brasil

gilmar-mendes-10abrO ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), denunciou neste domingo, em Lisboa, “um sistema de corrupção generalizada” no Brasil, em entrevista à agência de notícias portuguesa Lusa. Em Portugal para um simpósio de Direito Constitucional, o ministro disse que há corrupção “certamente no que diz respeito ao financiamento de campanhas, basta ver as listas de quaisquer empresas”.
Nós tínhamos até recentemente, antes da decisão do Supremo, um sistema de financiamento privado: as empresas é que financiavam a política na sua substância. Mas é bem provável que esse sistema tenha sido bastante adensado, sofisticado, nesses últimos anos”, afirmou.
Gilmar Mendes contou que agora serão proibidas doações de empresas às campanhas, mas sublinhou que mesmo assim, poderá haver manipulação para as empresas continuarem a doar recursos para essas campanhas, por isso, defende uma reforma política. O ministro está em Portugal para participar de um simpósio sobre Direito Constitucional, do qual participaria o vice-presidente, Michel Temer, que cancelou sua ida.

Cinco deputados pagam aluguel pelos mesmos carros

carrosA Reavel Revendedora e Locadora de Veículos Ltda. assinou contrato com seis deputados federais, entre fevereiro de 2014 e janeiro de 2015, para locar veículos mesmo depois que a empresa teve suas atividades declaradas inativas, compulsoriamente, pela Secretaria de Fazenda de Salvador-BA, dez anos antes. A locadora recebeu quase R$ 180 mil de dinheiro público da verba indenizatória para locar seis veículos neste período de onze meses.
Como comprovação da prestação do serviço, além dos contratos firmados com os deputados, a empresa emitiu notas fiscais de preenchimento manual, as mesmas que foram apresentadas pelos parlamentares à Câmara para que os gastos fossem integralmente ressarcidos. E o foram.
Os deputados em exercício Francisco Floriano (PR-RJ), Sérgio Brito (PSD-BA) e João Carlos Bacelar (PR-BA), além de Marcos Medrado (SD-BA) e Maurício Trindade (PROS-BA), que deixaram a Câmara ao final da legislatura anterior (2011-2014), dividiram os mesmos veículos em períodos iguais. Os parlamentares contrataram a Reavel para locar carros em seus estados de origem e por eles pagaram, com dinheiro público, valores que variaram de R$ 2 mil a R$ 6,5 mil por mês e foram integralmente ressarcidos pela Câmara.

Temer busca consenso no PMDB

temer reformaO vice-presidente Michel Temer desembarca em Brasília, hoje, para tentar criar um consenso no partido pelo desembarque do governo Dilma. Vai trabalhar pessoalmente para tentar demover as últimas ideias de resistência dentro do PMDB.
A constatação do núcleo mais próximo de Temer é que, depois que o PMDB do Rio de Janeiro oficializou a saída do governo, ficou possível tentar buscar um resultado por aclamação na reunião do diretório nacional, amanhã. A avaliação dos aliados mais próximos de Temer é que é fundamental dar uma prova de unidade neste momento, com a sinalização de capacidade política de um eventual futuro governo de Temer.

Dilma tenta último movimento contra impeachment

dilma_crimesA presidente Dilma Rousseff começa a semana tentando fazer o último movimento para evitar o seu impeachment. A avaliação é que o desembarque do PMDB, dado como certo, estimulará outros partidos da base, como PP, PR, PTB e PSD, a seguir o mesmo caminho.
A contabilidade realista feita pela coordenação política do Governo acendeu o alerta: o Planalto hoje conta com apenas 130 votos seguros para barrar o impeachment – número muito distante do mínimo de 171 votos necessários na Câmara dos Deputados.

Chefes militares já se entendem com oposição

Deu no Cláudio Humberto:
claudio humberto novo
Um dos sinais reveladores do declínio da presidente Dilma no poder tem sido a aproximação dos chamados setores “de Estado” com a oposição. Representantes do Itamaraty, inconformados com a nova condição brasileira de “anão diplomático”, e a significativa interlocução com chefes militares, em geral muito discretos. Todos se mostram preocupados, mas concordam em um ponto: o governo Dilma acabou.

Governo usa cargos para atrair siglas da base

Diante da certeza de um desembarque do PMDB, o governo Dilma vai oferecer a partidos como PP, PR e PSD cargos hoje em poder dos peemedebistas e a promessa de terem um papel de “protagonistas” caso a petista sobreviva ao impeachment. Nas contas de assessores da presidente Dilma, quase 500 cargos podem entrar nas negociações se todos os peemedebistas decidirem seguir a decisão do diretório nacional do PMDB, na terça-feira (29), quando deve ser oficializado o rompimento.
Segundo apurou a Folha de S.Paulo, além destas três legendas, o governo vai fazer uma ofensiva de última hora sobre partidos menores e deputados individualmente, numa tática de operar no “varejão”, para tentar garantir os 171 votos necessários para barrar o impeachment no plenário da Câmara dos Deputados.

Dona de agência de comunicação ligada ao PT fecha delação

Uma nova delação vai deixar o Palácio do Planalto em alerta. A publicitária Danielle Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Interativa, fechou colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República na Operação Acrônimo, que apura suspeita de um esquema de desvio de dinheiro público para campanhas políticas do PT.
A empresa, que produz conteúdo para a internet, começou a trabalhar para o partido em 2010 e cresceu na esteira da campanha que elegeu Dilma Rousseff. Segundo pessoas próximas à investigação disseram à Folha, Danielle acertou com os investigadores implicar o governador Fernando Pimentel (PT-MG) e Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, empresário e amigo do petista. Os dois já estão sendo investigados.

PMDB arrasta Dilma para o poço

downloadEsta e as três próximas semanas serão decisivas para o desfecho da maior crise dos últimos 50 anos. Até aqui, tudo conspira a favor do impeachment de Dilma, a começar pela opinião pública. Segundo o instituto Datafolha, 70% dos eleitores gostariam que a presidente fosse destituída do cargo.
Amanhã, para complicar a sua situação de debilidade e fragilidade no Congresso, onde, na Comissão Especial do Impeachment, só tem 25 dos 65 votos, o PMDB anuncia seu desembarque do Governo. Isso, na verdade, será o começo do fim. Afinal, Dilma precisa reunir pelo menos 172 votos entre os 513 deputados para barrar o impeachment.