Rejeição a Temer reativa debate sobre desligamento da função de articulador

Integrantes do grupo político de Michel Temer espantaram-se com o resultado da pesquisa feita pelo Datafolha na Avenida Paulista, no domingo (16). A atuação do vice-presidente foi considerada ruim ou péssima por 68% dos manifestantes.
Exergou-se no índice uma evidência de que a impopularidade de Dilma é contagiosa. E concluiu-se que o vice-presidenete escolherá seu próprio caminho para o inferno se não tomar distância da função de articulador político do Planalto.
A pesquisa ouviu eleitores aos quais Temer costuma se dirigir quando pede votos: brasileiros de classe média residentes em São Paulo. A despeito disso, o carioca Eduardo Cunha, enrolado na Operação Lava Jato, amargou taxa de rejeição bem menor: 43%.
Para os aliados de Temer, o figurino de sub-Cunha não orna com um personagem que precisa conservar sua capacidade de diálogo caso seja compelido pelos fatos a administrar o desenlace de um desastre.
Por Josias de Souza

Postagens mais visitadas deste blog

CHACINA: Policial militar é acusado de executar quatro pessoas em cabaré da cidade de Brasnorte

Saúde tem hoje Dia D de vacinação contra H1N1 em Tangará da Serra