Estudos científicos mostram que obesidade passa do pai para os filhos

20160210075650972411eNo momento da fecundação, os espermatozoides levam mais do que informações genéticas que serão misturadas às do óvulo para formar um novo ser. Carregam também marcas deixadas pelo estilo de vida do homem e que podem comprometer a saúde dos filhos. Por isso não só são as mulheres que devem se preocupar com a balança e com outras complicações ligadas à obesidade quando decidem ter um bebê. O alerta vem de dois estudos divulgados recentemente em revistas científicas internacionais: exageros cometidos por eles aumentam a predisposição de crianças ao excesso de peso.
Um dos grupos que detectaram esses sinais da epigenética em meninos e meninas é do Centro de Pesquisa Metabólica Novo Nordisk, na Dinamarca. Segundo a epigenética, o ambiente é capaz de interferir na forma como o DNA se expressa, sem modificar o código genético original. Por essa lógica, os pesquisadores sugerem que um ambiente com mais exposição e estímulo ao consumo de alimentos pode ativar a obesidade nos genes que trazem essa doença.

Postagens mais visitadas deste blog

CHACINA: Policial militar é acusado de executar quatro pessoas em cabaré da cidade de Brasnorte

Tangará da Serra recebe Circuito Aprosoja dia 25 de maio

Saúde tem hoje Dia D de vacinação contra H1N1 em Tangará da Serra