Com reforma católica, igreja espera boom de anulações de casamento

casamento padreNo ano passado, 271 pessoas deixaram de ser “oprimidas pelas trevas da dúvida” em São Paulo. Neste ano, são 174 os católicos que aguardam na fila do Tribunal Eclesiástico da cidade para anular seu matrimônio. O termo foi usado na terça-feira pelo papa Francisco para referir-se à espera dos fiéis que tentam provar, por meio da Justiça Canônica, que seus casamentos nunca existiram. Assim como a Justiça comum, a divina também é morosa: a sentença pode demorar anos.
Para diminuir o tempo de espera, o pontífice anunciou a maior reforma em mais de dois séculos nos procedimentos de anulação do casamento na Igreja Católica. Agora, alguns casos poderão ser encerrados em até 45 dias. Ele também pediu que sejam cobrados só gastos indispensáveis. Em São Paulo, o processo pode custar até dez salários mínimos, ou R$ 7.880.
O arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, aposta que a demanda no Brasil aumentará. “Mais pessoas vão nos procurar. Teremos mais trabalho”, diz. A mudança, segundo ele disse à Folha de São Paulo, provocará a “redução da angústia das pessoas” e “a paz do coração”.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis