Ex-prefeito é preso em Pontes e Lacerda por favorecimento à exploração sexual de adolescentes

Rede de prostituição foi descoberta em Ibaiti, no norte pioneiro do Paraná. Marlei Ferreira Siqueira, ex-prefeito da cidade, foi preso no Mato Grosso.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) cumpriu o último mandado de prisão da Operação Alcova, que investiga um grupo criminoso envolvido em uma rede de exploração sexual de adolescentes em Ibaiti, no norte pioneiro do Paraná. Segundo os promotores, o ex-prefeito da cidade, Marlei Ferreira Siqueira, é suspeito de participar do esquema.

Siqueira foi preso em Pontes e Lacerda(MT), na segunda-feira (17), com o apoio do Núcleo de Inteligência da Delegacia Regional do município.


O MP-PR informou que o suspeito foi prefeito de Ibaiti na gestão 1989-1992, e concorreu novamente à prefeitura da cidade em 2012 e 2016. Conforme informações divulgadas peloTribunal Superior Eleitoral (TSE), Siqueira renunciou à candidatura deste ano. A renúncia foi homologado pela Justiça Eleitoral em 29 de agosto.

Segundo o MP-PR, Siqueira já foi denunciado pelo crime de favorecimento à prostituição de adolescentes. O processo corre sob segredo de justiça.

A operação havia sido concluída na sexta-feira (14), conforme informações do MP-PR, com a prisão preventiva de duas pessoas, por tempo indeterminado.

Os outros presos foram o policial civil e vereador eleito Elielson Carlos Araújo (PTB), conhecido como Tiguera, e uma mulher, que tinha um estabelecimento que explorava a prostituição.

O outro lado
A advogada Marilza Mattiolli, que defende Elielson Carlos Araújo, informou que a inocência de seu cliente será provada no decorrer do processo. Mattiolli, disse que vai entrar com habeas corpus em favor de seu cliente.

André de Moraes Maximino, advogado de Marlei Ferreira Siqueira, vai entrar com habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

As defesas acreditam que não há motivos para decretar a prisão dos dois, pois ambos têm os requisitos para responder em liberdade.

Investigações
As investigações do caso começaram no início de setembro, depois que o MP-PR recebeu denúncias pelo Disque 100 e a informação de que uma adolescente apresentava comportamento anormal na escola. Com ajuda do Conselho Tutelar, descobriram a ligação da jovem com uma pessoa que agenciava encontros sexuais.

“Com o início das apurações, conseguiram o telefone da mulher, que foi interceptado com autorização da justiça”, conta Lopes. Segundo o promotor, com o conteúdo dos telefonemas, foi identificada a existência de uma casa de prostituição em Ibaiti e também foram identificadas adolescentes frequentando o local.

“A intenção é que com as prisões, a gente consiga que outras pessoas que também sejam vítimas procurem o MP-PR para prestar esclarecimento”, diz o promotor.

Quem tiver informações, pode fazer denúncias pelo telefone da 1ª Promotoria de Ibaiti: (43) 3546-3500.

Fonte: Lacerda Net

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis