11 de fevereiro de 2008

Bebo uma lágrima

Por Rejane Tach

Bebo uma lágrima
E o dia esfumaçado de novo me toma
Porque lembrei de você...

Que eu seja ainda invisível para seus olhos
Como sempre fui
Não quero mais a dor de não tê-lo, a me consumir
Sem respostas com suas portas trancadas...

Meus pés tentam caminhar para outras direções
E meu tempo repleto de deslizes pulsou sem cor
Pois nunca senti seu cheiro no meu corpo...

Minha felicidade caminhante era ver os seus olhos,
Sua boca, suas palavras, seu jeito...e agora,
Tenho a sensação de que não sou ninguém...

Bebo uma lágrima
Pois não seduzi seu beijo ao alcance da minha boca
E ...
Vou morrendo invisível pra você...

Um comentário:

  1. "Bebo uma Lágrima", assim como os demais poemas de Rejane Tach, reflete o estado da alma, são versos breves, mas densos, uma dança de sentimentos envolvidos pela dor de amar...estes são os versos representativos de amor e sofrer...
    "Não quero mais a dor de não tê-lo, a me consumir"

    ResponderExcluir

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com