6 de agosto de 2008

Um terço de atividades escolares têm que ser extra-classe

A partir do próximo ano, quando começa a valer o piso nacional do magistério, no valor de R$ 950,00, os professores da educação básica devem, pela lei aprovada no Congresso Nacional em julho, cumprir um terço da jornada com atividades extra-classe como planejamento de aula, correção de provas e tarefas.

Membros do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) buscam subsídios nos Estados para embasar essa necessidade.

O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) recebeu aporte dez vezes maior, para garantir o piso do magistério.

Hoje, de acordo como Ministério da Educação (MEC), são R$ 5 bilhões de complementação do governo federal, para garantir o pagamento dos professores.

De acordo com representantes do MEC, a possibilidade de cumprir um terço da jornada fora da sala de aula é uma das ações para a valorização do magistério e deve ser colocado em prática pelos governos estaduais a partir do segundo semestre de 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com