29 de julho de 2009

A questão da doação de órgãos

Num dos jornais que me caíram em mãos no dia de ontem, eu constatei que existem atualmente no Brasil em torno de 75 mil pessoas nas filas de transplantes de órgãos.

A gente recorda bem que, em setembro do ano passado, o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, deu largada a uma campanha cujo objetivo principal era conscientizar a população de que doar é um gesto bastante nobre.

Essa doação de órgãos salva vidas, permite ao cego enxergar, realiza melhorias com sucesso em doentes terminais e, quando não curam, alongam o prazo de vida da pessoa transplantada.

Mas o aspecto mais importante dessa mobilização é o fato de muitas dessas doações resultarem em mais vida para as pessoas. Doar órgãos é salvar vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com