9 de março de 2012

Ex-vice-prefeito, Jaconias da Silva sofe mais uma derrota no Tribunal de Justiça

LAICE SOUZA
DO MIDIAJUR
A Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou a concessão de tutela antecipada ao vice-prefeito cassado de Tangará da Serra, José Jaconias (PT), que pretendia a declaração de nulidade de todos os atos decisórios subsequente ao primeiro interrogatório prestado por ele a Câmara Municipal, que culminou com a cassação do seu mandato.

José Jaconias buscava, com o pedido, que o relatório final da comissão especial processante e o decreto de cassação fossem anulados. Caso obtivesse êxito, ele iria poder retornar a função.

No entendimento do relator do recurso, desembargador José Tadeu Cury, não há como conceder o pedido pela ausência dos recursos autorizadores para a concessão de liminar. Na avaliação do desembargador, o pleito deve ser apreciado no decorrer do processo e não em recurso.

Entenda o motivo da cassação

A prefeitura de Tangará da Serra, sob o comando do então prefeito Júlio César Ladeia (PR), contratou a Oscip Idheas para administrar a saúde pública do município. Toda a gestão foi investigada pela Polícia Federal e irregularidades foram constatadas pela Operação Higeia.

A contratação foi aprovada pela Câmara de Vereadores com a alegação de que seria a única solução para o caos em que se encontrava o setor da saúde no município. Os vereadores são acusados de receber vantagens em troca da aprovação.

Na sessão, que entrou para a história do Estado como a mais longa já realizada, foram cassados quatro vereadores (Celso Ferreira, Haroldo Lima, Paulinho Porfírio e Genilson Kezomae), além do suplente de vereador Celso Vieira ter ficado submetido à penalidade apenas se assumir a função de parlamentar. Na mesma sessão foram cassados o prefeito Júlio César (PR) e o vice José Jaconias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com