23 de maio de 2011

Esquema de venda de diplomas é investigado no Mato Grosso

Um suposto esquema de venda de diplomas falsos com ramificações na Secretaria do Estado de Educação (Seduc) será investigado pela Polícia Judiciária Civil. A suspeita surgiu após o Serviço de Inteligência da Polícia Militar descobrir que 2 alunos do curso de formação de soldados tinham apresentado certificados falsificados para ingressar na corporação.

Os diplomas do Ensino Médio, atestados e históricos escolares teriam sido emitidos pela Escola Estadual João Briene de Camargo, localizada no bairro Lixeira.

Segundo o boletim de ocorrência, os alunos Adão Ramos de Souza Júnior, 24, e Andhrey de Almeida Fernandes, 23, confirmaram que compraram os documentos por R$ 500 cada.

Adão teria conseguido o certificado em junho de 2009 através de uma pessoa conhecida como "professor Fábio". A entrega teria sido feita 1 dia após o contato via telefone, próximo de um supermercado no bairro CPA 3. O aluno também informou que, durante a negociação, "Fábio" informou que conseguiria o documento com apoio de uma pessoa da Seduc.

Já Andhrey teria comprado o documento de uma mulher identificada como "Lu", que trabalhava em uma policlínica do município, no ano passado. O pagamento e entrega da "encomenda" foram feitos no bairro Pedregal.

A apresentação do comprovante de conclusão do Ensino Médio é uma das exigências para os aprovados no concurso público. A turma de 1.237 praças começou as aulas em fevereiro.

Conforme o Serviço de Inteligência, a descoberta da fraude ocorreu durante investigação social dos alunos. Após suspeita de falsificação, a Escola João Briene foi oficiada e confirmou que os documentos não tinham sido emitidos. O fato dos 2 certificados terem sido adquiridos pelo mesmo valor e terem o nome da mesma instituição reforça as suspeitas de que um grupo organizado possa estar atrás das vendas.

E este não é o primeiro caso de fraude descoberto pela PM. Nos últimos meses, conforme o Serviço de Inteligência, outros 2 alunos foram excluídos pelo mesmo motivo, além de pessoas que foram presas por falsificação de documentos. Neste caso, os 2 acusados também devem ser penalizados e afastados do curso, já que não atendem o critério de ter o Ensino Médio completo, além de responder por uso contra fé pública e de documentos falsos.

Outro lado - A Secretaria do Estado de Educação (Seduc) informou, por meio da assessoria de imprensa, que nesta segunda-feira vai buscar mais detalhes do caso e deve abrir um procedimento investigativo para saber se houve participação de algum servidor. Gazeta Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com