8 de fevereiro de 2015

Lava Jato e a corrupção: as provas se amontoam

imagesA partir do depoimento do ex-gerente de engenharia da Petrobras Pedro Barusco, que fechou acordo de delação premiada, o Ministério Público conseguiu traçar o perfil detalhado de cada um dos 11 operadores do esquema revelado na nona fase da operação “lava jato”. Segundo as investigações, eles tinham atuação bastante semelhante à movimentação do doleiro Alberto Yousseff, que está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba
O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, afirma que há provas de que  fornecedores da BR Distribuidora cobravam propina que variava entre 5% a 10% do valor dos contratos. Os contratos seriam superfaturados para garantir lucro maior às empresas e repasse de “comissões” a diretores da Petrobras e a políticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com