24 de fevereiro de 2015

Taques: “O povo de MT deve estar desgostoso com o fim de semana”

CAMILA RIBEIRO

O governador Pedro Taques (PDT) afirmou que a população de Mato Grosso deve estar “desgostosa” após a Rede Globo, por meio do programa "Fantástico", ter exibido uma extensa reportagem sobre esquemas de corrupção investigados pelo Ministério Público no Estado.

“Fico pensando: a pessoa que veio de longe, de outro Estado, aqueles que aqui nasceram e que devem estar um pouco desgostosos hoje, em razão deste grande final de semana que tivemos. Mas, é possível sim, melhorar a cada dia o Estado de Mato Grosso”, disse ele.

"Essa obra do VLT é um pepino gigantesco que o Estado tem para resolver" As declarações foram dadas em entrevista concedida pelo governador à Rádio Mega FM.


A reportagem exibida pelo Fantástico citou, entre outros pontos, possíveis esquemas em obras da Copa do Mundo em Cuiabá, especialmente no caso do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), orçadas em R$ 1,4 bilhão.

Taques admitiu que essa obra é um dos principais problemas que sua gestão terá que resolver.

“Essa obra do VLT é um pepino gigantesco que o Estado tem para resolver. Tenho a obrigação de encontrar um caminho para resolver. Nós precisamos terminar a obra e eu tenho um compromisso com o cidadão em fazer isso”, disse ele.

Apesar de manifestar intenção em finalizar o modal de transporte, Taques voltou a cogitar a possibilidade de uma troca do VLT para o Bus Rapid Transport (BRT), modal que havia sido inicialmente escolhido para a Capital e Várzea Grande.

Ele alegou que a viabilidade dessa troca está sendo estudada por equipes técnicas e afirmou que não admitirá que pressões políticas influenciem numa tomada de decisão, tal como ele considera que ocorreu na última gestão.

“Imaginem vocês, até dado momento, a escolha era o BRT. De repente, não por obra do Espírito Santo, foram a Brasília e mudaram para VLT”, disse.

"Justamente por falta de ouvir técnicos em razão da pressão política, fizeram o que fizeram com Cuiabá, rasgaram Cuiabá no meio" “Eu não sou técnico dessa área, precisamos ouvir técnicos. Justamente por falta de ouvir técnicos em razão da pressão política, fizeram o que fizeram com Cuiabá, rasgaram Cuiabá no meio”, completou ele.

Audiências “indecentes”

O governador Pedro Taques disse ainda que, em breve, serão realizadas audiências públicas para debater o assunto com a população.

Na oportunidade, ele ainda criticou as audiências que foram realizadas à época da troca do BRT para o VLT. Taques classificou as discussões como “indecentes”.

“Quem vai definir se é BRT ou VLT é o cidadão. Nós faremos audiência públicas decentes, não como audiências que houve na Assembleia, que eu assisti pela TV. Naquela ocasião, o promotor de Justiça Domingos Sávio e o professor Luis Miguel da UFMT, que defenderam a não possibilidade do VLT quase foram espancados. Foram acusados de pertencer a Máfia dos Combustíveis”, afirmou ele.


Segundo Taques, a continuidade da obras do VLT depende desses estudos de viabilidade técnica, bem como de um estudo tarifário que está sendo elaborado pelo Governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com