30 de junho de 2008

MP denuncia 11 militares

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça os 11 militares do Exército suspeitos de entregar três moradores do Morro da Providência, no centro do Rio de Janeiro, a traficantes rivais do Morro da Mineira, na zona norte da cidade. Wellington Gonzaga Ferreira, David Wilson da Silva e Marcos Paulo Campos foram torturados e mortos com 46 tiros.

Cada militar é acusado de homicídio triplamente qualificado, cuja pena pode chegar a 30 anos.Segundo o MPF, a denúncia foi protocolada na 7ª Vara Federal Criminal. Se a ação for recebida, os interrogatórios dos acusados, atualmente presos, serão marcados para os próximos dias.

No fim do processo, eles poderão ser julgados pelo Tribunal Federal do Júri Popular. Vinícius Ghidetti de Moraes Andrade, Leandro Maia Bueno, José Ricardo Rodrigues de Araújo, Renato de Oliveira Alves, Samuel de Souza de Oliveira, Eduardo Pereira de Oliveira, Bruno Eduardo de Fátima, Sidney de Oliveira Barros, Fabiano Eloi dos Santos, Julio Almeida Ré e Rafael Cunha da Costa Sá foram os denunciados.

Os militares, que vigiavam as obras do Projeto Cimento Social no Morro da Providência, são acusados de levar as vítimas num caminhão do Exército para o Morro da Mineira, controlado por uma facção rival. Para o MPF, todos sabiam que os jovens entregues seriam mortos.

O órgão pediu a quebra dos sigilos telefônicos dos denunciados, a fim de apurar se houve contato prévio entre os militares e os traficantes. JPM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com