24 de fevereiro de 2015

Pedido de HC é redistribuído e desembargador Rui Ramos irá decidir futuro de Riva

Os advogados do ex-deputado estadual José Geraldo Riva ingressaram com habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça. O desembargador Orlando Perri seria o responsável por analisar o pedido e determinar, ou não, a liberdade do ex-presidente da Assembleia Legislativa, preso neste sábado (21) em uma operação do Gaeco. Porém, devido às férias do magistrado, o habeas corpus foi redistribuido para o desembargador Rui Ramos, que deve decidir o futuro do ex-presidente da Assembleia.

Riva foi preso por determinação da juíza Selma Rosane Arruda após denúncia do Minisério Público. De acordo com o promotor de Justiça, Marco Aurélio Castro, o político é investigado pelo desvio de mais de R$ 60 milhões. Ele foi encaminhado ao Centro de Ressocialização de Cuiabá, antigo Carumbé. 

Riva foi ligado ao esquema que teria desviado mais de R$ 62 milhões da Assembleia Legislativa de Mato Grosso pelo empresário Júnior Mendonça, beneficiado com delação premiada na Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal no combate a crimes contra o sistema financeiro e contra a administração pública em Mato Grosso.

Consta da denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual que Riva usaria os recursos dos desvios para quitar empréstimos pessoais e para “abastecer o sistema”, nome dado ao pagamento de propina em troca de apoio político em Mato Grosso. O dinheiro era levantado por meio de falsas aquisições de materiais em meio de licitações fajutas vencidas por empresas de fachada.

José Riva comandou a Assembleia Legislativa nos últimos 20 anos, se revezando entre a Presidência e Primeira Secretaria da Casa de Leis. Em 2014, tentou disputar a eleição para o Governo do Estado, mas teve sua candidatura barrada pela Justiça Eleitoral. Chegou a lançar a esposa, Janete Riva (PSD), em seu lugar, mas esta acabou em terceiro na disputa. Ainda assim, elegeu sua sucessora, Janaina Riva (PSD), na Assembleia Legislativa. Flávia Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com