14 de abril de 2011

Presidente do TSE defende teto para financiamento público de campanha

Folha Online

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Ricardo Lewandowski, defendeu nesta quinta-feira o fim do financiamento de empresas para campanhas políticas e a criação de mecanismos para a limitação de gastos dos candidatos.

Segundo ele, nas eleições de 2010, somadas as receitas dos candidatos, comitês e partidos chegaram a mais de R$ 3,3 bilhões. Por isso, opina, o financiamento público sem um teto não é viável. "Os números são estratosféricos. Imagina como isso seria oneroso para os cofres públicos", diz.

O presidente do TSE também deu números referentes às doações feitas via internet na última eleição: R$ 736 mil. Disse que, no ano passado, para os primeiro e segundo turno das eleições foram gastos R$ 490 milhões, ou seja, R$ 3,60 para cada eleitor.

Lewandowski cobrou uma maior aproximação do povo no sistema eleitoral. Disse que o projeto do Ficha Limpa e plebiscitos são exemplos de como isso poderia acontecer. "O preço pode ser um pouco elevado, mas a democracia não tem preço", afirmou.

Em audiência pública na Câmara, o presidente do TSE falou ainda da necessidade de se adotar uma uma cláusula de desempenho "inteligente e razoável" que impeça a existência de partidos sem consistência política e ideológica. E defendeu o fim das coligações para eleições proporcionais. Sobre a lista pré-ordenadas, falou: "eu diria que causaria um estranhamento no eleitor, que está acostumado a votar em uma figura e não em um partido".

Ainda na opinião do ministro, o mais apropriado seria o aprimoramento do atual modelo político e não uma reforma total e irrestrita. "Não temos que derrubar o sistema de cima abaixo, porque nosso sistema é bom. O povo, de um modo geral, está satisfeito com o processo", afirmou. "Mudanças drásticas de rumo é como se empreendêssemos uma viagem sem saber aonde chegar, andar sem rumo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com